Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Games | O seu smartphone NÃO é um PlayStation…

O seu smartphone NÃO é um PlayStation…

Compartilhe

Jogar em um smartphone se tornou uma atividade extremamente comum entre os usuários. A potência dos telefones proporciona uma experiência de jogo cada vez mais impecável.

Mas se engana quem pensa que essa potência os equipara aos consoles de videogames tradicionais. Apesar dos esforços dos fabricantes em dizer o contrário, há diferenças marcantes entre os dois.

Mesmo com os avanços significativos para melhorar a experiência de jogos em smartphones, a diferença de desempenho é evidente. É verdade que títulos como Genshin Impact estão disponíveis não apenas para Android e iPhone, mas também para o PS5. E mesmo com uma qualidade visual impressionante, um telefone nunca fará com que você esqueça seu antigo console, seja agora ou daqui a muitos anos.

Neste artigo, vamos mostrar os pontos que determinam a diferença entre os dois tipos de dispositivo para jogos de videogames.

 

O nível de potência não é o mesmo

Um dispositivo muito menor do que um PlayStation ou um Xbox não possui a mesma capacidade para executar jogos com gráficos impressionantes. A possibilidade de rodar jogos como Call of Duty: Mobile a 60 FPS estáveis pode ser animadora, mas o nível de detalhe e a velocidade de carregamento não se comparam nem de longe.

Os jogos para smartphones são versões adaptadas em todos os sentidos. Elementos dos cenários são cortados e a distância de renderização é ajustada para economizar recursos ao máximo. Embora Genshin Impact pareça ótimo, fica a pergunta: ele não seria ainda melhor e mais confortável de jogar em um console com seu próprio controle?

No entanto, reconhecemos que alguns jogos se saem muito bem em dispositivos móveis e, diante disso, há aqueles que insistem em afirmar que um telefone pode substituir completamente um console, o que é uma ideia inviável. Mesmo o potente chip A16 Bionic da Apple está longe de garantir uma experiência similar em todos os aspectos.

E mesmo quando o smartphone é utilizado com emuladores para jogar títulos de consoles como PS2, PSP e Nintendo Switch, seu desempenho está longe de se equiparar ao dos consoles originais. E até mesmo para esse uso específico, os telefones são ótimos para entregar entretenimento, mas não são a mesma coisa que ter o produto original nas mãos.

 

Leve em consideração os custos

Enquanto um PlayStation 5 ou um Xbox Series X tem um preço fixo que não passa dos R$ 5.000, os melhores telefones para jogos podem ultrapassar a casa dos R$ 10 mil com relativa facilidade.

Uma diferença considerável que torna a aquisição de um console ou até mesmo de um PC para jogos muito mais atrativa. Essas plataformas permitem aproveitar ao máximo os requisitos dos jogos e desfrutar de títulos exclusivos que jamais serão vistos em smartphones, como a aclamada saga The Last of Us, Spider-Man e God of War.

 

A autonomia da bateria pesa neste caso

A duração da bateria é um problema, já que um smartphone dificilmente aguentará por muito tempo se for utilizado para jogar jogos mais pesados. O superaquecimento também é uma preocupação após várias horas de jogo.

Por outro lado, em um console, esses problemas não são barreiras significativas, especialmente considerando que é possível carregar os controles enquanto se joga ou até mesmo ter dois controles para alternar enquanto a bateria é recarregada.

E se tem uma coisa que irrita é ficar sem bateria no smartphone. Sinceramente, não sei se vale o sacrifício de perder autonomia de uso por causa de algumas horas de jogo.

 

É muito mais confortável jogar em um console

Muitos consideram incômodo segurar o telefone na horizontal para jogar. Embora existam controles Bluetooth disponíveis para uso com o celular, isso traz à tona outra questão: a tela.

As dimensões reduzidas do celular não permitem apreciar os detalhes gráficos dos jogos. Embora seja possível conectar o dispositivo à televisão via HDMI, essa opção não é tão prática, pois requer a constante conexão e desconexão sempre que se deseja jogar.

Para quem usa o smartphone além do entretenimento, já que precisa do dispositivo pronto para trabalhar ou estudar, as notificações e a necessidade de deixar o telefone pronto para uma resposta rápida são incômodos que os gamers precisam levar em consideração.

 

Conclusão

Se você está pensando em comprar um celular para jogos ou um com capacidade suficiente para essa finalidade, talvez seja melhor considerar a opção de adquirir um console de nova geração.

A versatilidade dos smartphones oferece a possibilidade de entretenimento em qualquer lugar, mas se você é um verdadeiro amante de videogames e deseja desfrutar ao máximo dessa paixão, a decisão se torna clara.

Os consoles proporcionam uma experiência de jogo superior, com gráficos impressionantes e conforto que os smartphones simplesmente não podem igualar.

A batalha entre smartphones e consoles pelo coração dos gamers pode até existir, mas no momento, os consoles estão à frente nessa corrida. Se bem que eu reconheço que os dois dispositivos podem ser similares na entrega do entretenimento, mas são propostas para públicos diferentes.

Acredito que existem gamers que jogam tanto em consoles quanto em smartphones, mas eles são minoria. A grande massa de jogadores tende a escolher um único dispositivo para executar seus jogos.

E, na minha modesta opinião, está tudo certo.


Compartilhe