Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | TV Por Assinatura e Streaming | O fim do plano básico da Netflix é uma péssima notícia para todos

O fim do plano básico da Netflix é uma péssima notícia para todos

Compartilhe

Assinante da Netflix não tem um minuto de paz, não é mesmo?

O plano básico da Netflix deixou de existir no Canadá, tornando obrigatório para os usuários escolherem o plano básico com anúncios caso não queiram pagar pelo plano padrão. E essa notícia é péssima para todo mundo. Ou é mais uma má notícia vindo da plataforma de streaming que afirmou um dia que amava os seus assinantes.

A decisão da Netflix em substituir o plano básico sem anúncios pelo plano básico com anúncios pode indicar uma mudança estratégica da empresa. Ao perceber que o plano mais barato, mesmo com anúncios, oferece maior rentabilidade, a Netflix busca não apenas receber pagamentos dos usuários, mas também capitalizar com a receita publicitária gerada pelos anúncios veiculados durante a exibição do conteúdo.

E quem se ferra é você, eu, e todos os assinantes.

 

Existem sim motivos para preocupação

Essa mudança tem preocupado os usuários, que veem a extinção do plano básico sem anúncios como um golpe em seu interesse na plataforma de streaming. Além disso, a Netflix já havia causado desconforto ao implementar restrições nas contas compartilhadas, levantando questionamentos sobre as políticas da empresa em relação aos seus clientes.

Não por acaso a Netflix foi multada pelo Procon por causa de suas práticas. Porém, é mais fácil 365 Dias ganhar um Oscar de Melhor Filme do que ver mudanças na estratégia do serviço de streaming. Tudo leva a crer que o fim do plano básico sem publicidade deve se estender para todos os mercados onde a plataforma está presente, e os usuários que aceitem o novo cenário.

Ou cancelem o serviço em massa, algo que ainda não aconteceu.

O Canadá serviu como ponto de partida para essa alteração, onde agora os consumidores têm duas opções: o plano básico com anúncios, com um custo de US$ 5,99, ou o salto direto para o plano padrão, que tem um preço de US$ 16,49.

Convenhamos: é uma diferença de valores substancial. E nos dois casos, a Netflix vence sempre.

A incerteza paira sobre a possibilidade de essa medida ser expandida para outros países, o que poderia gerar ainda mais críticas e questionamentos sobre a estratégia adotada pela Netflix. Os usuários aguardam para ver quais serão os próximos movimentos da empresa e como isso afetará suas experiências de streaming.

 

A concorrência ainda oferece mais por menos

Além disso, a Netflix enfrenta a concorrência de outras plataformas de streaming, que oferecem preços mais competitivos. O preço e o conteúdo oferecidos pela empresa de streaming líder nem sempre são considerados os melhores em comparação com alternativas como HBO Max, Disney+, Star+, Amazon Prime Video, Paramount+ e outras, que apresentam preços mais acessíveis aos consumidores.

E eu nem preciso lembrar ao amigo leitor, mas… o preço continua a ser o principal fator para que um usuário mantenha ou cancele a assinatura em uma plataforma de streaming.

Diante dessas mudanças e da necessidade de aprimorar o tratamento oferecido aos usuários, muitos questionam a justificativa para continuar pagando uma assinatura da Netflix, considerando as recentes modificações implementadas pela empresa. Para muitos que dividiam a conta com alguém pagando um valor muito menor, manter o serviço não faz o menor sentido.

Por outro lado, também sabemos que a Netflix está capitalizando em cima de quem decidiu ficar em qualquer plano. E neste caso, a plataforma de streaming vai vencer sempre, pois o valor médio que cada usuário vai pagar é consideravelmente maior do que o preço por cabeça cobrado durante o período da divisão de contas.

 

Netflix terá que pagar o preço

A Netflix mudou o seu modelo de negócios para maximizar receitas. Mas o preço que é cobrado da própria plataforma pode ser mais alto do que os aumentos nos valores médios pagos por assinante para acessar o seu conteúdo. As decisões são impopulares e as pessoas estão ficando insatisfeitas.

Não precisa ser Sherlock Holmes para concluir que a Netflix vai receber uma chuva de críticas. E quanto mais o tempo passa, a plataforma vai demonstrando que está cada vez menos propensa a ouvir as demandas dos seus clientes.

Eu já vi como esse filme termina. E dizer que é semelhante ao resultado do estalo do Thanos não é um spoiler.


Compartilhe