Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Análises e Reviews | Samsung Galaxy M13 vs Motorola Moto G22

Samsung Galaxy M13 vs Motorola Moto G22

Compartilhe

Eles são muito parecidos, contam com preços muito similares, estão na mesma categoria de smartphones de entrada e querem conquistar os usuários com o apelo do baixo custo para trabalhar no básico. E os dois modelos já foram resenhados no blog.

Samsung Galaxy M13 e Motorola Moto G22 são dois telefones de entrada que custam entre R$ 1.049 e R$ 1.099, e esse é o principal fator que justifica a produção deste artigo. São concorrentes diretos no preço e nas características técnicas.

Olhando de forma superficial, dá até para dizer que eles são irmãos gêmeos separados no nascimento. E as pequenas diferenças são detectadas com a ajuda de uma lupa que mostra os pequenos detalhes que podem fazer a diferença na hora de adquirir um ou outro modelo.

Neste artigo, vamos tentar (e digo tentar, pois essa é uma missão bem complicada) descobrir qual é o melhor ou o mais ajustado smartphone para você entre o Samsung Galaxy M13 e o Motorola Moto G22.

 

Dimensões e peso

As poucas diferenças entre os dois modelos começam nos milímetros de suas dimensões.

O Motorola Moto G22 é mais compacto (74.94 x 163.95 x 8.49 mm) que o Samsung Galaxy M13 (76.9 x 165.4 x 8.4 mm), já que possui uma tela que é apenas 0.1 polegada menor (6.5 polegadas, contra 6.6 polegadas do modelo da Samsung).

Ou seja, se você quer um dispositivo com dimensões mais comedidas, o Moto G22 deve ser a sua escolha. Porém, a diferença é mínima, e tenho reais dúvidas se essa 0.1 polegada a mais do telefone da Samsung vai fazer uma grande diferença nas mãos e no bolso de qualquer usuário.

E essa mínima diferença de tamanho acaba impactando no peso dos dois dispositivos. Por ser menor, o Motorola Moto G22 é mais leve (186 gramas) que o Samsung Galaxy M13 (192 gramas). E, de novo: eu me pergunto se seis gramas a mais são realmente relevantes no uso diário.

 

Conectividade e sensores de movimento

Os dois modelos são rigorosamente iguais na conectividade, já que contam com o mesmo acesso às redes móveis em 4G LTE Dual Stand-by Quad Band. A mesma regra vale para o WiFi 802.11ac, Bluetooth 5.0, USB-C 2.0 e GPS nos padrões A-GPS/GLONASS/Galileo.

Nos sensores de movimento, o Samsung Galaxy M13 não conta apenas com o giroscópio, mas mantém os demais itens presentes no Motorola Moto G22, ou seja, acelerômetro, proximidade, bússola e leitor de digitais.

O giroscópio só será relevante se você vai jogar no telefone com títulos que efetivamente se valem dessa funcionalidade para uma melhor interação com o software. Mas como você não vai conseguir rodar jogos mais pesados no Galaxy M13, entendo que essa funcionalidade pode ficar de fora sem maiores problemas ou impactos na experiência de uso do dispositivo.

Ou seja, também não temos diferenças tão relevantes entre os dois dispositivos neste aspecto.

 

Processador, RAM e armazenamento

Aqui pode estar a mais evidente diferença entre o Samsung Galaxy M13 e o Motorola Moto G22.

Os dois dispositivos se distanciam de forma considerável nos processadores que gerenciam os demais recursos de hardware e software em cada modelo. Enquanto o Samsung Galaxy M13 utiliza o Exynos 850, chip da própria Samsung, o Motorola Moto G22 aposta no MediaTek Helio G37, que é o que torna possível a oferta de um telefone de baixo custo como esse.

Olhando com uma lupa para os aspectos técnicos de cada um dos processadores, eles são muito similares nas suas especificações, onde fica realmente difícil definir qual deles é o mais potente ou eficiente. O Exynos 850 conta com 4x 2.0 GHz Cortex-A55 + 4x 2.0 GHz Cortex-A55, enquanto o Helio G37 MediaTek MT6765V/CB possui 4x 2.3 GHz Cortex-A53 + 4x 1.8 GHz Cortex-A53.

O que pode determinar a diferença efetiva de desempenho entre os dois é a GPU que cada processador utiliza. E, mesmo assim, isso pode ser relativizado por outros fatores como, por exemplo, a interface de software de cada modelo. O Samsung Galaxy M13 trabalha com o chip gráfico Mali-G52, e o Motorola Moto G22 recebe o chip PowerVR GE8320.

Aqui, os números são frios, e estimar qual vai entregar o melhor desempenho é uma tarefa muito complicada. E, de novo, tudo também vai depender em como o software vai trabalhar com o hardware.

Neste caso, o Motorola Moto G22 tende a ser mais fluído e eficiente, pois tem um Android quase puro e menos intrusivo. Por outro lado, o Exynos 850 do Galaxy M13 é desenvolvido pela própria Samsung, que tem controle pleno sobre o conjunto técnico. Logo, os sul-coreanos podem otimizar a One UI para que essa interface trabalhe com o processador para oferecer um melhor desempenho e maior otimização energética.

Logo, a escolha aqui pode passar pelas suas necessidades ainda mais específicas com cada modelo. Por exemplo, se deseja um dispositivo mais propenso a receber um número maior de atualizações do Android, ou com aplicativos um pouco mais exigentes.

Já na RAM e no armazenamento, os modelos recebem as mesmas especificações: 4 GB de RAM. 128 GB de armazenamento interno e possibilidade de receber um cartão microSDXC com até 1 TB de dados.

 

Tela

Esse é mais um item que conta com diferenças mínimas, mas que podem ser relevantes para determinar um vencedor.

Como já foi destacado no segmento das dimensões dos dispositivos, o Samsung Galaxy M13 possui uma tela discretamente maior, com 6.6 polegadas. Por outro lado, o Motorola Moto G22 recebe uma densidade de pixels um pouco maior em sua tela de 6.5 polegadas (270 ppp, contra 266 ppp do telefone da Samsung), justamente por ser um pouco menor.

Ou seja, se você quer uma maior nitidez nas imagens em reprodução, o Moto G22 é mais adequado. Por outro lado, a regra aqui é a mesma de outros itens já apresentados neste comparativo: o quão mais nítido o modelo da Motorola pode ser com apenas 4 ppp a mais que o Samsung Galaxy M13?

No final, as chances de os dois telefones entregarem a mesma nitidez nas imagens em exibição em suas respectivas telas são enormes, já que contam com basicamente a mesma grande limitação resultante de um dispositivo de baixo custo: a resolução de tela em HD (720 x 1600 pixels).

Sobre os padrões de tela IPS e PLS, vale uma breve explicação sobre as diferenças entre os dois materiais.

As telas IPS são fornecidas pela LG, enquanto as telas PLS são produzidas pela Samsung. As duas são telas com base em LCD, mas se valem de tecnologias diferentes para oferecer o resultado final de imagem nos dispositivos.

As telas IPS prometem uma melhor reprodução de cores e ângulos de visão superiores (até 178 graus). Já as telas PLS contam com as mesmas características que sua concorrente, mas com um custo de produção menor, taxas de brilho mais altas e a promessa de ângulos de visão superiores.

Em termos práticos, os resultados são os mesmos, e as diferenças não são muito significativas. Por outro lado, se você quer um smartphone com um brilho maior na tela, o Samsung Galaxy M13 é mais propenso a isso.

Por outro lado, se o Galaxy M13 estiver mais caro que o Moto G22 quando você pretende finalizar a compra, opte pelo modelo da Motorola. Afinal de contas, não vale a pena pagar a mais por uma tecnologia de tela que é declaradamente mais barata que a concorrência.

Em comum, os dois telefones contam com o mesmo número de cores na tela (16 milhões) e a excelente notícia em receber uma taxa de atualização de tela de 90 Hz, um pouco acima do que normalmente se encontra nos dispositivos mais econômicos (60 Hz), além de ser melhor que a taxa ofertada pela Apple no seu novo (e caríssimo) iPhone 14, que também está limitado aos 60 Hz.

 

Câmeras

Outro ponto onde as diferenças aparentemente são mais perceptíveis.

Pelo menos na teoria, o modelo da Motorola leva vantagem por contar com um sensor a mais. O Moto G22 conta com sensores de 50 MP (principal) + 8 MP (ultra wide) + 2 MP (profundidade) + 2 MP (macro), com respectivas aberturas de F 1.8 + F 2.2 + F 2.4 + F 2.4.

Já o Samsung Galaxy M13 recebe apenas três sensores fotográficos, em um conjunto composto por câmeras de 50 MP (principal) + 5 MP (ultra wide) + 2 MP (macro), com respectivas aberturas de F 1.8 + F 2.2 + F 2.4.

Uma coisa a ser observada é que, apesar de contar com um sensor ultra wide com menor resolução, o Galaxy M13 pode registrar fotos com ângulo mais aberto (123 graus, contra 118 graus do sensor presente no Moto G22). Por outro lado, fica a dúvida se cinco graus a mais ou a menos vai fazer uma real diferença nas fotos registradas pela maioria dos usuários.

Do mais, as câmeras traseiras preservam as mesmas propriedades e características, o que faz com que as diferenças reais e práticas nas fotos e vídeos registrados pelos dispositivos sejam determinadas pela forma em como o software de câmera vai trabalhar em conjunto com o hardware, incluindo o pós processamento de imagem pelos processadores presentes em cada dispositivo.

Neste caso, dê uma olhada nos reviews que testaram os dois modelos e no feedback de outros usuários para analisar qual telefone se saiu melhor nos registros de fotos e vídeos. A escolha também passa pela sua preferência no resultado das imagens capturadas, já que algumas pessoas podem optar por (por exemplo) ter fotos mais quentes ou frias, ou com maior ou menor correção das linhas de expressão.

Na câmera frontal, o Motorola Moto G22 possui um sensor com 16 MP (f/2), e o Samsung Galaxy M13 se limita ao sensor de 8 MP (f/2.2). Ou seja, o primeiro é, em teoria, melhor que o segundo.

 

Bateria

O último item relevante a ser analisado entre os dois modelos é a bateria. E ambos são rigorosamente iguais neste aspecto.

Tanto o Samsung Galaxy M13 quanto o Motorola Moto G22 contam com 5.000 mAh de bateria. Uma das diferenças aqui pode estar no tempo de recarga, que pode variar de acordo com o carregador incluído no kit de venda.

Sobre a autonomia estimada, ela também pode variar em função da eficiência dos processadores presentes nos dois dispositivos e na otimização das interfaces Android presentes em cada modelo (ambos contam com o Android 12, antes que eu me esqueça).

Neste sentido, o Motorola Moto G22 está um pouco mais propenso a oferecer uma maior autonomia de uso, já que o chip da MediaTek trabalhando com um Android quase puro pode ser uma combinação mais eficiente e interessante que o conjunto Exynos 850 + One UI do Samsung Galaxy M13.

Não estou aqui afirmando que o modelo da Samsung pode ir pior do que o Moto G22. Por outro lado, quem já utilizou dispositivos com as últimas versões da série Exynos tem alguns traumas envolvendo temas como superaquecimento de telefones e gastos exagerados de bateria.

E se até a Samsung desistiu do Exynos nos seus modelos tops de linha… pense em como isso pode afetar os modelos de entrada da empresa.

 

Samsung Galaxy M13 vs Motorola Moto G22: qual você deve escolher?

É realmente muito difícil determinar qual é o melhor smartphone entre o Samsung Galaxy M13 e o Motorola Moto G22. Na verdade, os dispositivos são tão similares, que seria injusto escolher um vencedor de forma objetiva e direta.

Logo, é melhor tentar indicar qual é o melhor para você, que está especulando investir o seu dinheiro em uma das duas opções apresentadas neste post. Neste sentido, o principal critério a ser adotado para a escolha é a experiência de uso.

Você pode se alinhar melhor com a experiência do Android quase puro oferecida pelo Motorola Moto G22, e eu apoio essa decisão. O dispositivo tende a ser mais fluído nas suas atividades mais básicas, o que pode ser uma vantagem decisiva para quem só quer ter um telefone competente para as principais tarefas do dia a dia.

Por outro lado, a One UI do Samsung Galaxy M13 pode ser a sua escolha se você já vem de um telefone da Samsung. Ter todas as senhas salvas, os recursos de interação com outros softwares e até mesmo com o computador e as alternativas de aplicativos que os coreanos oferecem podem determinar este modelo como o seu preferido.

Fora, isso, os pequenos detalhes destacados neste artigo podem ser os determinantes para a escolha de um vencedor. Dimensões e peso, tipo de tela, tamanho de tela, tipo de processador e conjunto de câmeras. E, mesmo assim, é preciso olhar com lupa para cada item, e em uma visão muito individual e específica.

Cada usuário vai determinar o que é realmente importante para o seu uso diário, e os dois modelos são igualmente competentes para atender bem aos usuários que só desejam ter um smartphone que faça o básico e custe pouco. E como os valores dos telefones são similares, na dúvida, escolha aquele que é o mais barato no momento da compra.

Lamento se você chegou até aqui para se decepcionar ao não encontrar um vencedor claro neste comparativo. Mas se você leu as mais de 2.200 palavras deste artigo, certamente é capaz de entender de forma muito clara que esta é uma missão realmente difícil de ser cumprida.

E eu dei o meu melhor para oferecer este conteúdo.

Espero ter ajudado de alguma forma.


Compartilhe