Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Smartphones | Nokia G22, o smartphone que você poderá consertar de forma bem simples

Nokia G22, o smartphone que você poderá consertar de forma bem simples

Compartilhe

 

A HMD Global está realmente se esforçando para fazer da nova Nokia uma ferramenta de lembrança positiva da finada Nokia, a original finlandesa que conquistou os corações de muitos usuários ao redor do mundo.

E uma das formas para conquistar esses corações saudosistas é entregando uma proposta de qualidade que pareça próxima daquela que a empresa original entregou nos anos 90 e 2000. O que eu não podia imaginar é que a iniciativa dessa vez fosse criativa a ponto de entregar algo além do que se espera pra os produtos.

Vou explicar melhor: a parceria entre Nokia e iFixit para oferecer telefones que podem ser reparados de forma simples e acessível é algo que devemos aplaudir de pé.

 

Conserte você mesmo sem cair na falência

A Nokia anunciou três novos telefones no seu portfólio de produtos, e esse lançamento marca não apenas o início de uma parceria bem criativa para o mercado de telefonia móvel, mas também a confirmação de que a empresa decidiu adotar caminhos diferentes do que seus rivais para sobreviver em um segmento tão competitivo.

Os novos Nokia G22, Nokia C32 e Nokia C22 entregam uma generosa autonomia de bateria, e permitem que o usuário realize o conserto do dispositivo de forma simplificada, com a ajuda do pessoal da iFixit.

Dessa forma, a HMD Global dá o recado ao mundo de forma definitiva: não queremos entrar na briga do mercado de smartphones top de linha ou premium, e nossa aposta é totalmente centrada nos telefones econômicos, austeros, simples, básicos e confiáveis.

Os últimos modelos da empresa lançados lá fora e aqui no Brasil reforçam essa teoria. O Nokia G11 Plus e o Nokia C2 2nd Edition são duas provas mais do que claras que a HMD Global não vai entrar na briga entre Apple e Samsung (com a participação especial de várias marcas chinesas), oferecendo um diferencial relevante para um grupo consumidor que realmente precisa economizar na compra do produto e no investimento em reparos pós-venda.

Em comum, o Nokia G22, Nokia C32 e Nokia C22 oferecem uma enorme autonomia de bateria, com nada menos que três dias de uso. Algo que pode ser alcançado com relativa facilidade, considerando as características técnicas de cada dispositivo.

E para aqueles que desejam consertar o telefone por conta própria, fiquem de olho no Nokia G22, pois é esse o modelo que conta com a parceria com a iFixit, com um processo de reparação simplificado e acessível. O dispositivo recebe guias práticos com o passo a passo para acesso às peças para tela, conectores de recarga, novas baterias e outros componentes.

A iniciativa a Nokia neste caso é surpreendente e, ao mesmo tempo, muito interessante. Em tempos onde a ideia do “repare it yourself” ganha cada vez mais força (incluindo o respaldo dos governos do Velho Continente) a HMD Global pode iniciar uma interessante tendência de mercado, que pode ser muito mais interessante do que ver o usuário gastando dinheiro com novos dispositivos de tempos em tempos.

Agora, vamos falar com um pouco mais de detalhes sobre o modelo estrela dessa lista, o Nokia G22. Mesmo porque ele é o único que poderá ser consertado por você no futuro.

 

Sobre o Nokia G22

Os três modelos contam com especificações técnicas modestas, com evidente destaque para a autonomia de bateria e na resistência para qualquer tipo de acidentes. Com bateria a partir de 5.000 mAh trabalhando em um hardware comedido no desempenho, é fácil concluir que todos os modelos vão alcançar um tempo de uso longe da tomada considerável.

É óbvio que o mais interessante dessa lista é o Nokia G22. O modelo recebe uma tela de 6.52 polegadas com resolução FullHD+ e taxa de atualização de 90 Hz, o que já é uma vitória em comparação aos telefones mais modestos, justamente por oferecer uma maior fluidez no uso do Android e de aplicativos mais exigentes.

Seu processador Unisoc T606 trabalhando com 4 GB de RAM (ou 6 GB em modo virtual) e até 128 GB de armazenamento (expansíveis em até 2 TB via microSD) podem entregar uma experiência de uso competente e eficiente para as tarefas mais básicas.

Nas câmeras, um sensor principal de 50 MP trabalhando com um sensor de profundidade de 2 MB e uma lente macro de 2 MP devem entregar fotos razoáveis em diferentes condições de uso. Porém, a câmera frontal com apenas 8 MP entra no modo “é o que temos para hoje”, lembrando ao mundo que este é um dispositivo econômico.

Sua enorme bateria de 5.050 mAh trabalha com um carregador rápido de 20W, e o modelo chega ao mercado com o Android 12 de fábrica. É claro que fica a pergunta: quantas atualizações a Nokia vai entregar para este modelo? Afinal de contas, não adianta nada permitir que o usuário faça a reparação do dispositivo de forma simplificada se o telefone não receber mais do que uma atualização de sistema operacional.

Com espessura de 8,48 mm, peso de 196 gramas e contando com NFC e proteção IP52, o Nokia G22 tem preço sugerido de 189 euros. Lembrando mais uma vez que a HMD Global promete que o usuário poderá substituir de forma simples qualquer componente danificado no dispositivo, mas além da promessa de um guia detalhado para o procedimento de reparação, não há outras informações que apontem sobre como esse processo de conserto será concretizado.

 

Parabéns pela inovação, Nokia

Finalmente alguém decidiu inovar alguma coisa no mercado de smartphones.

Bom, eu preciso ser justo aqui e dizer que a Nokia não está necessariamente reinventando a roda, pois serviços de reparação de smartphones já existem. Porém, a HMD Global é a primeira que decide oferecer esse processo de forma simplificada e acessível para os usuários, e isso é sim uma inovação.

Ainda não sabemos os detalhes sobre os guias de procedimento de reparação. Porém, se forem realmente acessíveis como a Nokia promete, a empresa sai na frente sobre algo que pode se tornar uma tendência em outras marcas.

Mesmo porque nenhum grande fabricante está facilitando a vida do cliente no reparo do smartphone neste momento. Na Apple e na Samsung, você precisa ser um especialista para consertar seus telefones, o que é péssimo para quem só queria ter o dispositivo funcionando novamente depois de algum problema mais sério.


Compartilhe