Wetten.com Brasil Apostas
Home » Internet » Uma pessoa sozinha derrubou a Fastly e metade da internet

Uma pessoa sozinha derrubou a Fastly e metade da internet

Compartilhe

uma pessoa sozinha derrubou a fastly

A verdade sobre o problema recente na rede de CDN Fastly, que derrubou metade da internet nesta semana, está aparecendo. E agora, sabemos que um erro de configuração causado por um único usuário gerou todo o caos.

Esse problema resultou em uma queda generalizada de serviços de grande porte, como Twitch, Reddit, Amazon, PayPal, Spotify, Github e vários outros, gerando prejuízos que as plataformas ainda estão calculando, além de uma bagunça generalizada entre os internautas.

 

 

 

Foi tudo culpa dele

 

 

Na prática, o que aconteceu foi o seguinte: existia sim uma falha no software de CDN do Fastly, mas o serviço aparentemente ainda estava funcionando sem maiores problemas. O problema veio mesmo quando um dos clientes da plataforma decidiu fazer uma mudança no código da empresa, o que resultou na queda de todos os serviços que nele estavam vinculados.

De qualquer forma, tudo indica que esse cliente metido a engenheiro de computação não será processado. Pelo menos não pela Fastly, que se responsabiliza por todo o problema ocorrido no começo dessa semana por não se dar conta que ela mesma danificou o seu código, e isso era algo que poderia ser evitado.

Para quem não sabe, a Fastly oferece serviços de Content Delivery Network (CDN), que nada mais é do que uma rede de servidores espalhados pelo mundo que distribuem dados, serviços e aplicativos de grande porte pela internet.

Com um CDN, plataformas complexas e grandes sites conseguem ser acessíveis em todo o mundo, pois não dependem de um único servidor para funcionar, já que vários trabalham de forma conjunta para aliviar o trabalho de execução dos arquivos, facilitando assim o acesso a esse conteúdo por um número enorme de usuários.

Quando a CDN da Fastly parou de funcionar, sites gigantes como Amazon, PayPal, Twitter, Spotify e Github (entre outros) apresentaram falhas diversas em diferentes regiões do mundo, se tornando inacessíveis por algumas horas.

E quando uma plataforma de CDN cai, vários sites acabam caindo ao mesmo tempo. O que pode resultar em boa parte da internet ficando indisponível, até que o problema seja resolvido.

O Brasil não foi afetado pelo problema da CDN do Fastly, e todos os sites que estavam trabalhando com esta rede estavam funcionando por aqui sem maiores problemas. Mas isso não significa que o problema não ocorreu: boa parte da Europa, dos Estados Unidos e da Ásia não tiveram acesso a esses sites e serviços online.

 

 

 

Uma grande fragilidade

Essa informação mostra como as redes de CDN podem ser frágeis, mesmo quando muitas delas afirmam ter uma estrutura robusta contra ataques e ameaças.

Não estou aqui discutindo a competência da Fastly. É uma empresa que é responsável em manter no ar alguns dos principais portais, sites e serviços online da internet. O que eu quero dizer é que, enquanto a rede de CDN reforçou as suas seguranças contra malwares, vírus e ataques DDoS, por outro lado, algumas vulnerabilidades internas ainda existem como, por exemplo, as falhas humanas.

Qualquer plataforma informática (conectada ou não) pode conter falhas de programação porque, afinal de contas, são seres humanos trabalhando com linhas e linhas de códigos enormes e, por causa disso, falhas podem passar batido.

Logo, o que cabe à Fastly diante desse fato é mesmo pedir desculpas e assumir a responsabilidade pela brecha que ela mesma deixou. E, quem sabe, repensar suas políticas neste aspecto. Quem sabe reforçar o número de pessoas que vão revisar as falhas presentes no seu código.

De qualquer forma, esta não é a primeira vez que uma falha desse tipo acontece. E, de acordo com o histórico do mundo da tecnologia, não deve ser a última vez também.

 

 

Via The Verge


Compartilhe