TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia
O ponto mais débil do Microsoft Defender | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Dicas, Truques e Macetes | O ponto mais débil do Microsoft Defender

O ponto mais débil do Microsoft Defender

Compartilhe

Uma coisa é inegável: o Microsoft Defender, antivírus nativo para o sistema operacional Windows, evoluiu bastante nos últimos anos.

Essa evolução é perceptível para quem decidiu apostar nessa solução de segurança, a ponto de ser considerado por muitos especialistas em tecnologia o software “suficiente” para proteger os computadores dos usuários com necessidades mais básicas.

Porém, ele não é perfeito. Aliás, não existe software perfeito, usuários do macOS ou iOS.

O Microsoft Defender possui um ponto fraco, principalmente quando utilizado com o Windows 11, e você precisa ficar atento sobre essa vulnerabilidade.

E é sobre isso o que vamos falar neste post.

 

 

 

O ponto débil do Microsoft Defender no Windows 11

É fundamental reforçar neste momento que, apesar dos aparentes problemas, o Microsoft Defender é uma solução muito confiável, a ponto de dispensar a necessidade de um usuário comum ou com tarefas mais corriqueiras no computador em contar com algum software antivírus de terceiros para reforçar essa proteção aos dados.

Porém, o pessoal da empresa especializada na avaliação de malwares e ameaças virtuais AV-Comparatives faz um alerta sobre um aspecto do Microsoft Defender que precisa receber uma atenção maior por parte dos usuários mais preocupados com a segurança dos seus dados.

O relatório da empresa de segurança informa que o Microsoft Defender possui uma das piores taxas de detecção offline em relação aos principais softwares de antivírus disponíveis no mercado, algo que pode se transformar em um ponto débil se o seu computador não contar com a proteção na nuvem ativada.

Algo que não é nenhum absurdo quando paramos para pensar com um maior pragmatismo. Hoje, muitos usuários oferecem e recebem pendrives que carregam arquivos de todos os tipos e categorias, e em muitas vezes não imaginamos por onde esse pendrive passou, o que pode expor o seu computador ao risco de uma infecção que não pode ser detectada pelo Microsoft Defender, já que o vírus chegou por um meio offline.

O cenário se torna um pouco mais grave quando entendemos que o Microsoft Defender depende muito da proteção dos dados com base na nuvem, algo que o usuário pode ativar ou desativar a qualquer momento nos ajustes do software de segurança. Para isso, basta entrar nos Ajustes do Windows e ir em Atualizações de Segurança > Segurança do Windows.

 

 

 

O que fazer neste caso

Primeiro, você deve verificar se o seu Microsoft Defender está com o recurso de verificação de ameaças através da nuvem completamente desligado. Se este for o seu caso, ative o recurso o quanto antes para reforçar as defesas do sistema operacional. Caso contrário, você está muito mais exposto às ameaças externas e por vias de infecção offline.

E é fundamental reforçar mais uma vez que, apesar desse ponto débil, o Microsoft Defender é sim um software muito confiável, e tudo o que foi dito neste post é muito mais um ponto de alerta para os usuários.

Em todos os outros aspectos analisados pelo estudo da AV-Comparatives, o software de segurança da Microsoft é muito competente, ficando em paridade com outros antivírus muito conhecidos como Avast, Avira, Bitdefender e outros.

Ou seja, você não precisa se preocupar se o seu computador está ou não com alguma vulnerabilidade, desde que você preste atenção para o detalhe importante que destacamos neste post. Lembrando sempre que você é livre para escolher qual é o software antivírus que o seu computador vai receber…

…desde que você mantenha o seu computador protegido de alguma forma.


Compartilhe