Início » Dicas, Truques e Macetes » Microsoft Defender? Ou outro antivírus gratuito?

Microsoft Defender? Ou outro antivírus gratuito?

Compartilhe

O Windows 10 vem com o Microsoft Defender como solução de proteção ao sistema operacional e aos dados armazenados no computador.

Para os usuários com necessidades mais básicas, ele vai muito bem, sendo este um dos softwares mais efetivos para barrar vírus e outras ameaças virtuais.

Mas muitas pessoas simplesmente não acreditam no seu potencial. Há quem defenda a instalação de um antivírus dedicado.

Por outro lado, a Microsoft não recomenda que dois softwares de segurança estejam instalados no Windows 10 porque, basicamente, um vai anular o outro. Então… quem está certo?

Neste post, vamos mostrar os prós e os contras de cada alternativa.

 

 

 

Com a palavra, a Microsoft

 

A gigante de Redmond defende sua solução porque ela não prejudica a atividade ou o desempenho do Windows, algo que não acontece com outras soluções que são executadas em segundo plano.

A página do Microsoft Defender diz o seguinte:

 

“O Microsoft Defender Antivirus oferece proteção abrangente, contínua e em tempo real contra ameaças de software, como vírus, malware e spyware, via e-mail, aplicativos, nuvem e Internet.”

 

O Microsoft Defender até pode ser desativado, mas a maioria nem pensa em fazer isso, seja por falta de tempo ou de conhecimentos. Ou porque entende que esse software é o suficiente.

 

 

 

As principais vantagens do Microsoft Defender

 

Além da sua integração completa com o Windows 10 (inclusive na interface), o Microsoft Defender entrega um bom desempenho na hora de detectar ameaças.

Também está livre de publicidade, é atualizado quase todos os dias, possui proteção em tempo real (baseado na nuvem), proteção contra alterações do equipamento, análise de aplicativos maliciosos e controle ao acesso de suas pastas no computador.

Esse último item é muito importante, pois reduz drasticamente as chances do seu computador ser vítima de um ransomware, ou seja, o sequestro do equipamento e, por tabela, dos seus dados.

O Microsoft Defender está em constante e permanente evolução. Seu suporte vai durar por muito tempo, e não será abandonado com tanta facilidade quanto outras soluções.

 

 

 

E a concorrência? O que oferece?

 

 

O Microsoft Defender está na lista do Top-Rated Products 2020 dos melhores softwares antivírus do mercado, mas a lista é liderada por programas mais tradicionais e historicamente conhecidos dentro do segmento, como AVG e Avast (ambas agora pertencem à mesma empresa). E os dois são gratuitos.

Já o Produto do Ano de 2020 da mesma análise foi o software da Kaspersky, superando o ESET, o Bitdefender, o AVG e o Avast.

O antivírus da Kaspersky também venceu na proteção em condições normais de uso, superando Avast, AVG e o Microsoft Defender. Na proteção de malwares, o G Data venceu, superando o Bitdefender, o ESET e o Kaspersky.

Por fim, nos falsos positivos, o vencedor foi o ESET, seguido pela Kaspersky e Bitdefender. O software que menos causa impacto no sistema é o K7, seguido do McAfee e do Kaspersky.

 

 

 

O Microsoft Defender é vulnerável?

 

Muita gente se pergunta isso.

Tal e como acontece com qualquer outro software, o Microsoft Defender pode falhar. Recentemente, a Microsoft anunciou uma vulnerabilidade nele que permitia aos atacantes obter permissões de administrador no Windows.

Porém, o problema afetou também outros produtos de segurança da Microsoft, como Microsoft Endpoint Protection, Microsoft Security Essentials, entre outros.

Lembrando que os antivírus pagos contam com mais recursos e opções avançadas para a proteção dos seus dados.

Por isso, sempre que possível, pague para ficar mais protegido. Seus dados agradecem.


Compartilhe