Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Smartphones | Já “deu ruim” na tela do Pixel Fold?

Já “deu ruim” na tela do Pixel Fold?

Compartilhe

Deu ruim para o Pixel Fold?

O primeiro smartphone dobrável do Google era muito esperado pelos usuários. Afinal de contas, é o Google, ora bolas. O dono do Android não poderia mandar mal em um telefone com tela flexível com um sistema operacional que é seu, certo?

Então…

As primeiras 24 horas do seu lançamento (ou melhor, de sua chegada ao mercado) revelaram um início conturbado para o dispositivo. Relatos de falhas e problemas na tela dobrável começaram a surgir tanto nos meios de comunicação quanto nas redes sociais.

 

Como se fosse só dobrar e pronto

Fabricar um smartphone dobrável não é uma tarefa simples, e os primeiros lançamentos sempre apresentam problemas dos mais diversos. Ou todo mundo se esqueceu de como foi a primeira versão do Galaxy Z Fold da Samsung?

Nesse cenário, aqueles que conseguem entrar no mercado mais cedo têm uma vantagem considerável, pois têm mais tempo para corrigir erros e aprimorar seus dispositivos. Esse é o caso da própria Samsung, que já acumula quatro anos de experiência na produção de smartphones com tela dobrável. O excelente desempenho do Galaxy Z Fold 4, muito mais confiável e durável do que suas gerações anteriores, demonstra claramente a vantagem adquirida pela empresa sul-coreana nesse segmento.

E eu sei que estou dizendo o óbvio sobre esse assunto. Mas preciso abordar um aspecto importante dessa problemática, pois isso ajuda a explicar o cenário de momento do Google com o seu Pixel Fold. Você até pode achar tudo isso algo anormal vindo da gigante de Mountain View, mas ela não será a primeira e (muito provavelmente) não será a última a enfrentar problemas na primeira geração de telefones dobráveis.

Anormal seria se o Google acertasse de primeira.

 

O que está acontecendo com o Google Pixel Fold?

O Pixel Fold da Google apresentou problemas preocupantes em sua tela.

Analistas do The Verge e do Ars Technica que estavam testando o dispositivo para elaborar suas análises relataram o mesmo problema após apenas dois ou três dias de uso. Eles observaram a existência de um pequeno espaço entre a tela OLED e a estrutura do telefone, onde o protetor de tela fornecido não alcança.

Nesse espaço, pequenas rachaduras e pontos quebrados começaram a aparecer. Essa situação também foi compartilhada por um usuário do Reddit, o que indica que esse não é um caso isolado.

Ou seja, alguém no Google “se esqueceu” de verificar nos testes práticos do produto algo que se refletiu na construção em série do produto, o que pode ser péssimo para o futuro desse modelo.

Além disso, diversos relatos surgiram nas redes sociais sobre cortes e arranhões abaixo do protetor de tela, aparentemente causados ao abrir e dobrar o dispositivo. Outro usuário do Reddit afirmou: “Eu só abri a tela duas ou três vezes” para enfatizar que o problema ocorreu mesmo com um uso limitado do aparelho.

Se o problema neste caso se limitar a um protetor de tela, menos mal. Porém, em lançamentos da primeira geração de um produto com formato diferenciado, nunca aparece apenas um problema.

Outra questão relevante que veio à tona sobre o Pixel Fold é uma linha rosa que aparece no centro da tela. Esse problema não é exclusivo desse dispositivo, sendo comum em telas OLED convencionais, mas pode ser exacerbado pelo ato de dobrar e desdobrar a tela.

E aqui temos algo mais grave que o pessoal de Mountain View terá que lidar, pois não dá para dizer que ninguém no Google imaginou que isso poderia acontecer. Se é um problema com um histórico, a empresa deveria quebrar a cabeça para lançar o produto com alguma solução que evitasse o problema.

 

Dá para solucionar esses problemas de forma simples?

A dúvida que surge é se esses problemas são pontuais ou se são falhas inerentes às telas do Pixel Fold. A quantidade de dispositivos vendidos no lançamento não foi divulgada, o que dificulta avaliar a proporção dos problemas.

No entanto, o fato de dois jornalistas de renomados veículos de comunicação terem enfrentado falhas é relevante e levanta preocupações sobre a qualidade e durabilidade do novo dispositivo dobrável da Google.

Por outro lado, o melhor e mais relevante feedback que qualquer produto de tecnologia pode receber é o que vem dos usuários, pois são eles que testam o dispositivo no mundo real e em um cenário prático. E neste caso, os usuários reforçam que o Pixel Fold apresenta problemas desde o seu primeiro dia de uso. E o Google tem sim motivos para se preocupar com o futuro desse telefone dobrável.

Ainda não dá para afirmar que “deu ruim” para o Pixel Fold, mas podemos dizer que o seu início foi problemático. Assim como o começo da série Galaxy Z Fold da Samsung, e todo mundo viu o que aconteceu.

Vamos aguardar, respirar fundo, ter um pouco mais de paciência e conferir os próximos acontecimentos. Como o modelo dificilmente vai chegar ao Brasil de forma direta, não creio que esse tipo de incidente vai mudar alguma coisa na nossa vida.

Mas não deixa de ser curioso. Convenhamos: estamos falando do Google!

https://www.youtube.com/watch?v=9wobcM-WPQk&pp=ygUVcGl4ZWwgZm9sZCBjb21tZXJjaWFs


Compartilhe