Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Tecnologia | Deepfake “ressuscitou” Elis Regina

Deepfake “ressuscitou” Elis Regina

Compartilhe

Elis Regina… seja bem-vinda de volta! Você não tem ideia das saudades que eu senti de você e da sua magnífica voz!

As cantoras Elis Regina, falecida aos 41 anos em 1982, e sua filha Maria Rita foram reunidas em um dueto virtual na nova propaganda da Volkswagen, com a ajuda da tecnologia de deepfakes.

O comercial foi lançado em comemoração aos 70 anos da montadora alemã no Brasil, e apresenta as duas artistas interpretando a música “Como Nossos Pais”, um clássico de Belchior que foi sucesso na voz de Elis.

E como esse conteúdo é sobre uma das tecnologias que mais está em evidência neste momento, acredito que alguns leitores do blog vão e interessar em saber como tudo isso aconteceu.

 

Como Elis Regina voltou para nós

Utilizando inteligência artificial e a técnica de deepfake, que consiste em colocar rostos em vídeos e reproduzir movimentos labiais e expressões faciais, as imagens atualizadas de Elis Regina foram criadas, tal e como muitos computadores ao redor do mundo estão fazendo com atrizes famosas, mas em uma ação muito mais edificante.

As cenas mostram Elis dirigindo uma Kombi enquanto Maria Rita está ao volante de uma ID.Buzz, a van elétrica da Volkswagen. O resultado final é convincente o suficiente para enganar os mais desatentos.

A tecnologia de deepfake tem se mostrado cada vez mais convincente em suas aplicações, o que gera preocupações quanto ao seu mau uso, como golpes e manipulação de informações. No entanto, no caso dessa propaganda, foi utilizada uma dublê para dirigir o veículo e cantar a canção, enquanto os programas AutoEncoders e StyleGan 3, que usam redes neurais artificiais, mesclaram o rosto da atriz com a imagem recriada de Elis Regina.

A pós-produção do comercial foi realizada por uma renomada empresa norte-americana, que possui experiência em trabalhos para Hollywood.

 

As deepfakes preocupam? Sim, mas quando bem utilizadas, são geniais

As deepfakes preocupam de um modo geral, pois o mau uso que pode ser dado para esse tipo de tecnologia pode resultar em assassinatos de reputação em larga escala.

É uma tecnologia que oferece possibilidades fascinantes para o entretenimento e a publicidade, pois com ela podemos “ressuscitar” cantores e atores para as mais diversas finalidades, permitindo que nós, meros mortais, possamos matar as saudades dos astros que não estão mais entre nós.

De qualquer forma, é importante estar ciente das implicações éticas e de segurança das deepfakes. O potencial de uso indevido e manipulação de informações levanta preocupações legítimas. Portanto, é crucial que haja uma conscientização contínua sobre os limites e riscos dessa tecnologia, bem como um debate sobre sua regulamentação e utilização responsável.

No caso da propaganda da Volkswagen, o dueto virtual entre Elis Regina e Maria Rita representa um momento marcante e emocionante, que une gerações e mantém viva a memória de uma das maiores vozes da música brasileira. A combinação da tecnologia de deepfake com a genialidade artística dessas duas cantoras resultou em uma experiência única e cativante para os espectadores.

E aqui, temos um ótimo exemplo do bom uso de uma deepfake. Felizmente.

Confira o vídeo abaixo, e comemore a “volta” de Elis Regina.


Compartilhe