Pelo menos por enquanto, o Windows 10 May 2019 Update está chegando aos usuários sem maiores polêmicas. Mas um mês antes de seu lançamento, a Microsoft anunciou as especificações mínimas de armazenamento livre para a atualização (16 GB para a versão de 32 Bits, e 20 GB para a versão de 64 Bits). Porém, a própria Microsoft informa que tais requisitos não se aplicam aos equipamentos que estão em uso.

 

 

Uma medida positiva para quem vai comprar um novo computador

 

A Microsoft afirma (literalmente) que…

 

“O novo requerimento de espaço em disco do Windows 10 – versão 1903 – se aplica apenas a companhias que fabricam novos PCs. Este novo requerimento não se aplica aos dispositivos já existentes. Os PCs que não alcançarem os requerimentos de espaço livre continuarão a receber as atualizações, e a atualização 1903 exige a mesma quantidade de espaço livre que as atualizações anteriores.”

 

Assim, toda a polêmica prévia está resolvida, e acaba beneficiando de cara o usuário final. Muitos fabricantes entopem as suas instalações do Windows com ferramentas que muitos usuários não pediram, deixando em muitos casos um espaço disponível em disco muito reduzido.

Outra variante é que os fabricantes que apostam em unidades SSD (ou eMMC em alguns casos) muito pequenos, não encham de crapwares as instalações do Windows, não permitindo nem mesmo a instalação de jogos de grande tamanho ou a atualização do Windows para uma nova versão.

 

 

Com estes novos requisitos da Microsoft para os fabricantes, é possível que os usuários se beneficiem de instalações mais limpas do Windows, com menos bloatware e que entregam produtos com discos SSD grandes o suficiente para durar um bom tempo sem ter que fazer uma limpeza de disco ou de programas.

Vale lembrar que os preços dos SSDs estão cada vez mais baixos, e que não há motivo para não dizer adeus aos 128 GB de armazenamento ou menos. Por parte da gigante de Redmond, também agradecemos pela menor quantidade de aplicativos pré-instalados.

 

Via ZDNet