Compartilhe

O WhatsApp superou pela primeira vez o Facebook, se convertendo no aplicativo com maior número de usuários ativos do mundo, de acordo com o relatório anual “State of Mobile”, realizado pela empresa App Anie.

O app de mensagens instantâneas é o favorito dos usuários do iPhone e Android, acima de outros similares como Telegram ou Facebook Messenger.

Mas está tudo em casa. Afinal de contas, o WhatsApp foi absorvido pelo Facebook em 2014 por US$ 19 bilhões, quando tinha apenas 450 milhões de usuários.

 

 

WhatsApp ganha a liderança, mas não se distancia

O WhatsApp assumiu a liderança em setembro de 2018, e se mantém no topo desde então, mas sem ganhar vantagem. Até então, o Facebook dominou o ranking na média mensal de usuários móveis, mas com crescimento paralelo das duas plataformas. Porém, em setembro, o WhatsApp superou o Facebook, e assim ficou.

O relatório não revela números oficiais concretos de cada plataforma, mas sim resultados globais. São mais de 2.6 bilhões de pessoas que utilizaram Facebook, WhatsApp, Instagram ou Facebook Messenger no terceiro trimestre de 2018, de acordo com Mark Zuckerberg, aproximadamente 100 milhões a mais em relação ao trimestre anterior.

 

 

Em janeiro de 2018, o mesmo Zuckerberg apresentou os resultados do quarto trimestre de 2018, quando revelou que apenas o WhatsApp contava com 1.5 bilhão de usuários ativos mensais. Também vale a pena destacar que o Facebook alcançou em 2017 a marca de 2 bilhões de usuários ativos mensais.

Apesar de ser o aplicativo mais popular do planeta, existe um importante mercado que segue resistindo ao WhatsApp. Nos Estados Unidos, outros aplicativos de mensagens instantâneas como o Facebook Messenger ou o iMessage são os preferidos. De fato, lá, o WhatsApp nem está entre os dez aplicativos com maior volume de downloads do país em 2018, em uma lista que é encabeçada pelo Facebook e Facebook Messenger.

Mas acho que Mark Zuckerberg não está muito preocupado com a baixa popularidade do WhatsApp nos Estados Unidos. Afinal de contas, o Facebook é líder e é bem mais rentável para ele.

 

Via VentureBeat


Compartilhe