Eu sei que você usa o WhatsApp, então… começo o post dizendo logo de cara: atualiza o aplicativo no seu smartphone o quanto antes!

Recentemente foi descoberta uma vulnerabilidade no WhatsApp, que pode estar sendo explorada para injetar spywares nos smartphones Android e iOS de mais de 1.5 bilhão de usuários da plataforma ao redor do mundo. Quem informa sobre a vulnerabilidade são os investigadores de segurança e o próprio WhatsApp, que aconselha os usuários que atualizem o aplicativo imediatamente para corrigir a tal falha de segurança.

O software espião é o NOS Pegasus, e pode ser instalado no dispositivo sem deixar rastros. Basta uma chamada telefônica que o usuário receber em seu dispositivo, sem a necessidade da chamada ser atendida ou sequer respondida. Uma vez instalado, o Pegasus pode ligar a câmera e o microfone de um telefone, escanear e-mails e mensagens e coletar dados de localização do usuário.

A vulnerabilidade no WhatsApp foi descoberta no começo desse mês de maio, mas não começou a ser explorada por terceiros até o último domingo, 12 de maio, quando um advogado dos direitos humanos foi o alvo do primeiro ataque.

 

 

Lista de versões do WhatsApp afetadas pela falha de segurança

 

WhatsApp para Android 2.19.134 ou anteriores
WhatsApp Business para Android 2.19.44 ou anteriores
WhatsApp para iOS 2.19.51 ou anteriores
WhatsApp Business para iOS 2.19.51 ou anteriores
WhatsApp para Windows Phone 2.18.348 ou anteriores
WhatsApp para Tizen 2.18.15 ou anteriores

 

 

Software espião disfarçado de “combatente do terrorismo”

 

 

O WhatsApp afirma que o ataquem tem características de ser de origem de uma empresa privada que trabalha com governos para entregar um software espião que assume as funções dos sistemas operacionais de smartphones. Vários órgãos de direitos humanos foram notificados para que compartilhem a informação para que a sociedade seja notificada sobre a extensão do problema.

Já a empresa israelense por trás do Pegasus afirmou que vende o software para governos e agências de aplicação da lei para ajudar a combater o terrorismo e o crime, mas vários investigadores e escândalos anteriores confirmam que o aplicativo na verdade é utilizado por até 45 países para ajudar na perseguição de dissidentes, jornalistas e outros civis inocentes, violando os direitos humanos e de privacidade de milhões de pessoas.

A vulnerabilidade, em teoria, afeta um número relativamente pequeno de usuários e tem como objetivo atingir alvos específicos. Porém, é o seu direito (e, em alguns casos, dever) cuidar da sua privacidade. Logo, é mais do que recomendado que você realize a atualização do WhatsApp e se proteger dessa falha de segurança.

 

Via The Financial Times