O primeiro iPhone da Apple (2007) custava US$ 499, mas ele só poderia ser adquirido com contrato com a operadora e tinha escassa presença internacional. O iPhone 3G (2008), foi o primeiro iPhone a ser lançado no mundo todo, e também custava US$ 499 (impostos a parte), mas por chegar um ano depois tem um custo real menor por causa da inflação.

Desse ponto até 2016, os preços foram bem estáveis, com aumentos comedidos. Mas tudo isso mudou. Em 2018, conhecemos o iPhone mais caro da história, e agora não sabemos onde tudo isso vai parar.

O gráfico abaixo mostra a evolução dos preços de todos os iPhones apresentados ano a ano, sem levar em consideração a inflação.

 

 

Agora, um gráfico do aumento de preços do iPhone ano a ano, com os valores ajustados contando com os efeitos da inflação.

 

 

O iPhone original custaria em 2018 US$ 625.20. O iPhone XS custa hoje US$ 999. O aumento de preço foi de praticamente 60%, e pode ultrapassar os 100% se considerarmos a inflação.

Levando em consideração o modelo mais caro de cada ano (maior tela, maior armazenamento, etc), a diferença de valores é ainda mais absurda. Em 2007, o iPhone de 8 GB custava US$ 599. Já o iPhone XS Max de 512 GB custa US$ 1.449, ou seja, 93% a mais (contando com a inflação).

É claro que temos que levar em consideração todas as melhorias aplicadas ao dispositivo nos últimos 11 anos, onde temos hoje um iPhone infinitamente melhor do que o dispositivo de 2007.

Porém, a tendência dos últimos dois anos preocupa. O iPhone XR é um alívio relativo, pois tem um preço de US$ 749, que ainda assim é mais caro que o iPhone 8 de 2017, ficando abaixo das especificações e materiais que o modelo base (XS).

Se a Apple seguir a tendência dos últimos dois anos, podemos ver em 2020 modelos base de iPhones superando a marca dos US$ 1.300. Existe a alternativa dos preços se estabilizarem, tal e como aconteceu entre 2008 e 2011 e entre 2011 e 2016. Caso contrário, vai ficar difícil explicar valores tão caros.

Todos os dados desse post foram extraídos do site VentureBeat.