Compartilhe

Acho que esse problema já aconteceu com a maioria das pessoas que eu conheço (e que você conhece também): por causa de uma queda, tropeção ou qualquer tipo de acidente (voluntário ou não), você acaba com a tela do seu smartphone quebrada, e com o coração partido.

Às vezes temos a noção da pancada que o smartphone sofreu para a tela acabar quebrada. Em outras vezes, não fazemos a menor ideia do motivo pelo qual esse desastre aconteceu. Mas… será que vale a pena reparar a tela do dispositivo em caso de tela quebrada?

Alguns estabelecimentos realizam a reparação de telas e componentes. Isso porque um smartphone com tela quebrada não quer dizer que o dispositivo está propriamente morto. Colocar uma tela nova é algo relativamente simples para quem se especializou nos reparos de dispositivos.

Para quem não tem essa experiência, é melhor nem tentar. É trabalho demais para nenhum resultado positivo. E é preciso ter a máxima atenção para realizar a operação. E quando o smartphone é muito caro, nem vale a pena arriscar o ‘faça você mesmo’, até porque as peças originais são caras, e na maioria dos casos as telas vendidas na internet não são originais.

Sem falar que os problemas podem aumentar depois da tela instalada. O visor funciona, mas o touch não fica tão bom, e as cores não são reproduzidas da mesma forma. Logo, vale a pena recorrer a uma assistência técnica de confiança e qualidade.

Você pode até achar que o reparo da tela do seu smartphone custa caro. E vai custar mesmo. A mão de obra que você precisa pagar para um especialista somado com o preço da tela em si, que é o elemento mais caro do dispositivo resultam em valores mais altos para esta reparação.

Por outro lado, é fundamental você encarar o seu dispositivo como um investimento. E um investimento de valor considerável. Logo, tente não colocar nas mãos de qualquer pessoa para fazer esse reparo.

É claro que você pode comprar um smartphone novo no final das contas, mas nem preciso dizer que trocar a tela do dispositivo é algo muito mais vantajoso nos aspectos econômicos.


Compartilhe