Compartilhe

Estão deixando muita gente sonhar, mas eu sou cético diante dos rumores, e mando logo de cara um “eu só acredito vendo”, apenas para colocar um ponto de realidade para as mentes mais iludidas. Porém, eu acho o assunto interessante o suficiente para um post.

Pois bem, o anúncio da Apple informando ao mundo que estava abandonando a Intel como fornecedora de processadores para os seus computadores Mac em nome de uma nova filosofia ARM para o seu hardware está gerando especulações diversas sobre a possibilidade da gigante de Cupertino em lançar um MacBook barato (ou de baixo custo, ou menos caro…).

O suposto MacBook de baixo custo poderia chegar ao mercado ainda no final de 2020, e teria como principal objetivo impulsionar as vendas da família de notebooks da Apple, aproveitando o seu preço reduzido e a temporada de vendas de Natal.

Não é uma teoria tão absurda assim quando pensamos nela com calma. Porém, ainda assim…

 

 

 

…eu só acredito vendo!

 

 

Muitos de vocês estão pensando nesse momento que as palavras “barato” e “Apple” não se encaixam na mesma frase. Porém, olhando tal e como nos contam, até que pode (finalmente) dar certo dessa vez. Pois, convenhamos… um MacBook que custa US$ 799 é relativamente barato, ainda mais quando esse notebook conta com um hardware potente e integrado em um design premium e com qualidade de acabamento muito bem cuidada.

Na prática, esse suposto MacBook com ARM “barato” seria uma atualização do MacBook de 12 polegadas (que tem processadores Intel da série Y, de baixo consumo e desempenho relativamente limitado). Se o produto conseguir entregar uma performance aceitável, uma boa autonomia de bateria e um preço reduzido (mantendo o chassi de alumínio, um material premium leve e resistente), está valendo.

Mas… uma pergunta importante aparece nesse momento…

 

 

 

MacBook barato com CPU de 12 núcleos: isso é possível?

 

 

Com o salto para o ARM, é possível sim.

Um processador como o Intel Core i7 1068G7, com fabricação de 10 nanômetros, quatro núcleos e oito hilos, tem um custo de aproximadamente US$ 426. E, por mais que a Apple possa negociar um preço mais competitivo com a Intel (pela compra de chips em grande lote), esse valor jamais será o mesmo que aquele alcançado pelos custos de produção dos chips ARM.

Sem falar que o SoC Apple A14X deve contar como um design de seis núcleos de alto desempenho e seis núcleos de alta eficiência, com processo de fabricação de 5 nanômetros e custo aproximado de apenas US$ 75. Na prática, US$ 100 (considere esses US$ 25 a margem de lucro da Apple – que é pequena para as ambições da empresa -, lucro da parceira que vai montar o hardware, entre outros fatores).

Com tudo isso, a diferença de custo final entre os dois processadores seria enorme.

Logo, o grande segredo do possível MacBook de US$ 799 é justamente a principal novidade da Apple em 2020 (até agora): o seu processador. Se isso realmente acontecer, será um grande ponto de inflexão no catálogo de produtos da empresa, que finalmente vai lançar algum produto minimamente atraente par algo que interessa a muitos usuários: o preço.

Tá, eu duvido que esse possível MacBook 12 “barato” vai custar “apenas” R$ 4.100 (de acordo com a cotação de 27 de julho de 2020). Ou até mesmo R$ R$ 8.200 (vou fazer a conta simples, dobrando o valor cobrado lá fora). Se vier, deve custar mais de R$ 10.000 (no meu chute). Mas isso é outra história.

E para quem está preocupado com o desempenho do processador, o SoC A12Z que, em teoria, deveria ser muito menos potente que o SoC A14X, oferece um desempenho muito bom quando comparado com o Intel Core i7 1065G7.

Fica a dica.

 

 

Via Wccftech


Compartilhe