Compartilhe

São 10 anos de Android, mas nesse psot vamos destacar três smartphones que tiveram um papel de protagonismo no desenvolvimento deste sistema operacional móvel.

É claro que as escolhas aqui são subjetivas, e tantos outros poderiam entrar nesse psot. Porém temos aqui três modelos que deixaram marcas profundas no universo Android.

 

 

Samsung Galaxy S

 

 

O primeiro da série Galaxy S da Samsung. Contava com processador ARM Cortex A8 a 1 GHz, 8 GB ou 16 GB de armazenamento, 512 MB de RAM, tela Super AMOLED de 4 polegadas (480 x 800 pixels) e câmeras de 5 MP e VGA.

Nasceu com o Android 2.1 Eclair e foi atualizado até o Android 2.3 Gingerbread. Foi tão popular, que a comunidade de desenvolvedores entregou várias atualizações para o dispositivo.

 

 

Motorola Moto G

 

 

Marcou um divisor de águas no segmento de smartphones de linha média, dominando por anos em uma proposta onde os demais fabricantes não conseguiam entregar um produto igualmente competitivo.

O Moto G contava com uma tela LCD de 4.5 polegadas (1280 x 720 pixels), CPU Snapdragon 400 quad-core a 1.2 GHz, 1 GB de RAM, 8 GB ou 16 GB de armazenamento e câmera de 5 MP. Em 2014, a atualização do modelo com melhorias de hardware e o mesmo preço do anterior reforçou a dominância do produto dentro do seu segmento.

 

 

OnePlus One

 

 

Se os modelos Nexus 4 e Nexus 5 alcançaram um grande sucesso no mercado, o Nexus 6, caro demais, não fez o mesmo. Isso criou o vácuo que a irreverente OnePlus aproveitou muito bem.

O OnePlus One contava com tela de 5.5 polegadas Full HD (1920 x 1080 pixels), processador Snapdragon 801 a 2.5 GHz, 3 GB de RAM, 16 GB ou 64 GB de armazenamento, câmeras de 13 MP e 5 MP, bateria de 3.100 mAh e CyanogenMod oficial.

Era um modelo imbatível, com preço de 269 euros para a versão com 16 GB, e 299 euros para o modelo com 64 GB. Inaugurou o termo ‘flagship killer’ no mundo dos smartphones.

 

 

E hoje?

 

Os tempos são outros.

O Galaxy S9 e o Huawei P20 brigam nos modelos premium. A linha Moto G virou mais uma dentro do concorrido mercado de linha média, e sem os diferenciais que o tornavam singular.

E o OnePlus 6 não conta com o fator preço que tanto o beneficiava (hoje, ele é mais caro que o ASUS Zenfone 5Z). Marcas como a Xiaomi entregam preços imbatíveis, e o futuro do Android é cada vez mais complexo e imprevisível.

Dez anos muito interessantes para o Android.

Como serão os próximos dez anos?


Compartilhe