Nem todos os tablets são iguais, e não foram feitos para serem iguais. Acho que não era necessário um teste de resistência do JerryRigEverything para provar isso, mas diante do desastre apresentado pelos resultados do teste de tortura do iPad Pro 2018, era necessário comprovar se o Microsoft Surface Pro 6 poderia se sair um pouco melhor.

Na verdade, o que chamou a atenção no teste realizado com o iPad Pro 2018 não foi detectar que ele poderia dobrar, mas sim a facilidade com que o dispositivo se dobrava, mostrando uma clara baixa solidez estrutural que apresenta dois pontos débeis, um deles na área de carga sem fio do Apple Pencil e outro na área do microfone.

A Apple ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto, mas diante de um problema tão evidente e até ridículo, já dá para apontar o iPad Pro 2018 como um #fail da gigante de Cupertino nesse aspecto.

Voltando a falar do Surface Pro 6, o tablet sobrevive a duras penas ao teste de flexibilidade. No vídeo, o Jerry Rig explica que o Surface aguenta melhor ao teste de dobra em relação ao iPad por causa da placa adicional de suporte que o dispositivo da Microsoft possui, oferecendo assim uma camada de resistência adicional.

Fato é que, com a maior força aplicada, Surface chega sim a dobrar, mas a tela touch aguenta melhor, e é preciso um esforço maior para causar danos à mesma.

O teste de arranhões na parte frontal confirma uma resistência padrão da tela, já que as marcas começam a aparecer quando chegamos no nível 6 da escala de Mohs. Uma pequena fratura no cristal aparece no nível 7, mas isso acontece por conta de um excesso de pressão por parte de Jerry Rig, que deve ter se descuidado no manuseio da ferramenta.

É bom deixar claro que nem o Surface Pro 6 nem o iPad Pro 2018 são dispositivos reforçados e preparados para suportar situações extremas, mas em caso de um acidente mais sério ou queda mais violenta, apenas o dispositivo da Microsoft tem chances de sobreviver.