Sophia, o primeiro robô humanoide a obter nacionalidade na Arábia Saudita, deu várias entrevistas, respondendo perguntas relativamente complexas. Porém, quando questionada sobre como resolver a corrupção na Ucrânia, ela entrou em colapso, e ‘morreu’.

Sophia foi criada em Hong Kong pela empresa Hanson Robotics em 2015, e manteve conversas com gente do calibre de Elon Musk. A sofisticação do robô chegou a tal nível, que respondeu sobre sua noção de família e relacionamentos amorosos, afirmando que queria ser mãe.

Porém, ao que parece, o algoritmo de aprendizagem automática de Sophia se perdeu com essa particular pergunta durante o Fórum Econômico Mundial de Davos (Suíça). De acordo com a deputada ucraniana Alyona Shkrum, a humanoide não pode responder sua pergunta, com o processador do robô parando. Literalmente.

No evento, Sophia participou de conversas com herman Gref, chefe do maior banco russo, entre outras personalidades. Mas deixou em aberto os problemas na Ucrânia. A robô foi desenvolvida para reconhecer expressões e reagir à elas. Um exemplo do inusitado dessa característica foi quando ela afirmou recentemente que destruiria a humanidade, em tom de brincadeira.

Porém, como toda brincadeira tem um fundo de verdade…

 

 

 

Via Actualidad