Compartilhe

O TikTok já vinha se tornando uma referência dentro do segmento de vídeos curtos, e sua visibilidade alcançou novos patamares com a pandemia do coronavírus. O YouTube sabe disso, e prepara a sua alternativa: o Shorts.

A plataforma de vídeos do Google está trabalhando em um serviço de vídeos curtos criados pelos usuários, em um formato similar ao do TikTok. Não é a primeira vez que vemos esse movimento de “inspiração” por parte da turma de MountainView, e não podemos dizer que a empresa teve muitos acertos pelo caminho (Google+, YouTube Music e a cópia do Stories do Instagram são evidências do que estou falando).

 

 

 

Chega no final de 2020, com acesso às canções do YouTube Music

 

 

No Shorts, os usuários poderão enviar os seus próprios vídeos, aproveitando as licenças musicais do catálogo do YouTube Music. Um diferencial importante em relação ao TikTok, onde os usuários só podem enviar sons próprios ou melodias similares às canções originais.

O desenvolvimento do Shorts foi confirmado pelo site The Information e pelo jornalista Dylan Byers da MSNBC. Esse desenvolvimento é supervisionado por Susan Wojcicki, CEO do YouTube.

O Shorts não estará disponível ao usuário final até o final do ano. Ou seja, o YouTube tem tempo mais do que suficiente para desenvolver o projeto da melhor forma possível, ou o status do projeto pode mudar (e muito) até lá. Vamos ter que esperar o tempo passar para conhecer novos detalhes sobre a futura ferramenta.

Era de se imaginar que o YouTube ia fazer alguma coisa. O TikTok está superando a popularidade do Instagram e do YouTube a algum tempo, muito por causa de sua casualidade e proposta mais despojada, elementos que a plataforma de vídeos do Google foi abandonando nos últimos anos, com a sua proposta de “family friendly” que matou inclusive a criatividade dos produtores de conteúdo.

 

 

A ascensão do TikTok foi enorme: 15% ao ano (em comparação com os dados desse mesmo período em 2019). A rede social de vídeos curtos se posicionou em 2019 como o aplicativo com o maior número de downloads da App Store e da Google Play, com 33 milhões de downloads.

Hoje, o TikTok conta com 800 milhões de usuários ativos ao mês, e não será surpresa se o app superar o 1 bilhão de usuários antes da chegada do Shorts. Será que a alternativa do YouTube consegue captar a atenção de ao menos uma pequena parcela desses usuários? Ou vai chegar tarde demais para ser um competidor de verdade?

Um concorrente de peso? Sim, o Shorts já nasce assim. Mas pode ser insuficiente para fazer barulho o suficiente para se tornar uma real ameaça.

O tempo vai dizer.

 

 

Via The Information, The Verge, @DylanByers


Compartilhe