Compartilhe

O confinamento e o isolamento social são utilizados como desculpas para sequestrar dispositivos e enganar usuários com falsas campanhas e promoções para solicitar acesso à contas bancárias, através de estratégias de phishing ou vender dados pessoais na Deep Web.

Os golpes virtuais ganharam muita força nos últimos meses. O Google chegou a bloquear 18 milhões de e-mails por dia com malwares e phishing relacionado com a crise pandêmica atual. Desde o início da crise, várias páginas web fraudulentas apareceram, tentando enganar os usuários com vendas de máscaras cirúrgicas e outros materiais e itens sanitários, onde os produtos nunca chegavam aos clientes, eram falsificados ou diferentes dos anunciados.

Para não cair em golpes do falso comércio eletrônico, deixamos algumas dicas para deter essa prática nefasta.

 

 

 

Só compre online em lojas confiáveis

 

Certifique-se que o site possui um protocolo seguro, onde a URL começa por https e é precedida de um cadeado (em cinza no Google Chrome, em branco no Microsoft Edge). Verifique se o certificado digital do site não expirou, e se foi emitido para o site que você está navegando. Leve em consideração que você vai transferir informações pessoais para esse site, e que esses dados devem permanecer codificados.

 

 

 

Use métodos seguros para o pagamento

 

Selecione sempre que possível um cartão pré-pago para pagamento, ou cartões que não estão conectados com nenhuma conta corrente ou linha de crédito. Vale a pena usar o PayPal, Apple Pay ou Samsung Pay. No caso específico do PayPal, se você não recebe o produto ou o mesmo é diferente do original, você será reembolsado no valor da compra.

 

 

 

Desconfie de descontos generosos

 

Ofertas são apelos comerciais habituais muito utilizados por sites fraudulentos. Se um preço de um produto é muito baixo, desconfie.

 

 

 

Verifique os dados do comércio eletrônico

 

A loja online deve ter a razão social do titular do site, CNPJ e dados de contato muito claros. Para isso, vá para a parte inferior do site, e procure pelos avisos legais. Se o domínio é gratuito, não possui canais de atendimento ao cliente e as redes sociais não contam com atividades, tome o máximo de cuidado.

 

 

 

Leia a política de privacidade

 

Se um e-commerce é seguro, a política de privacidade está bem clara, indicando os termos e condições de uso do serviço. Também vale a pena dar uma olhada na política de devolução, com seus pertinentes prazos e custos, antes mesmo de fazer a compra.

 

 

 

Fique de olho no visual do site

 

Um site com problemas de construção e esteticamente pouco atraente pode indicar a pressa em copiar o design de um site oficial. Se o site não está completamente operacional, com links que não levam a lugar nenhum e, principalmente, com formulários de pagamento com uma redação ruim, desconfie (e muito).

 

 

 

Revise a avaliação de outros usuários

 

Uma simples busca no Google com o nome da loja ou nas redes sociais vai mostrar as experiências de compra de outros usuários. Se você encontrar muitas reclamações ou informações negativas sobre a loja, com denúncias de fraudes, não compre. Se não tiver rastro da marca ou comércio eletrônico na internet, não compre o produto de jeito nenhum.


Compartilhe