Compartilhe

Os novos Samsung Galaxy Note 10 e Samsung Galaxy Note 10+ já estão entre nós (ou ao menos foram anunciados, mas os produtos não estão disponíveis no Brasil no momento em que esse post foi produzido). A evolução dos dois modelos foi notável em alguns aspectos, mas nem tudo são flores nessa vida: em alguns aspectos, os smartphones abandonaram elementos que muitos desejam.

 

 

Muitas novidades, mas nem todas são boas

 

 

A Samsung surpreendeu com duas versões do Note que se diferenciam especialmente no tamanho, mas apesar das diferenças entre os dois modelos, estamos diante de dois dispositivos praticamente idênticos em suas especificações e características.

Nesse post, fazemos um resumo das boas surpresas e das grandes decepções contidas no Galaxy Note 10 e Galaxy Note 10+. É importante observar que o conteúdo desse post pode representar um bom handicap para diferentes tipos de usuários.

 

 

Primeiro, as boas notícias

 

 

1. O vídeo é o protagonista: o efeito bokeh durante o vídeo em tempo real e o zoom de áudio nos microfones mostram que a Samsung entende que o usuário da linha Note quer gravar vídeos cada vez mais profissionais.

2. Samsung DeX: o item que mais evoluiu no Note 10, permitindo agora a conexão em um PC com Windows ou macOS para acesso ao desktop e aplicativos móveis no computador, além de transferências de arquivos simplificada.

3. Recarga rápida de 45 W: É um salto relevante na geração anterior, ainda mais no caso do Note 10+ e sua tela enorme. Tá, ainda é inferior ao Super VOOC da OPPO, mas o que importa é a evolução nesse ponto.

4. Um Note mais manejável: o modelo de 6.3 polegadas é mais compacto e manejável, se aproximando do Galaxy S10 e S10+ nas dimensões, mas recebendo todas as vantagens do S Pen. Isso certamente vai atrair usuários para esse modelo.

5. PlayGalaxy Link: a Samsung assume que o Note 10 também é para games, oferecendo o streaming de jogos do PC ou portátil, um novo sistema de refrigeração com câmeras de vapor e um software para deixar tudo fluído para os jogos.

6. S Pen: não apenas para realizar anotações; a S Pen agora é um controle à distância para apresentações e funções de reprodução e gravação de vídeo, e possui reconhecimento de gestos, como se fosse uma varinha mágica, o que pode ser útil para impressionar amigos.

7. Adeus, botão Bixby: ninguém vai sentir falta desse botão.

 

 

Agora, as decepções

 

 

1. Adeus, conector de fones de ouvido: a mesma Samsung que fez troça da Apple que eliminou o conector de 3.5 mm no iPhone seguiu os seus passos, e pelo mesmo motivo (aumentar a bateria). É uma lástima, pois mostra como os fabricantes querem vender os seus próprios (e caros) fones de ouvido sem fio.

2. Taxa de atualização padrão: a Samsung perde a chance de colocar uma alta taxa de atualização na tela, ainda mais agora que entende que o Note 10 é também um smartphone gaming. Mas… não: por mais excepcional que seja a tela Super AMOLED, ela continua a não dinamizar nesse aspecto.

3. Snapdragon 855: alguns mercados (com sorte, o brasileiro) vão receber o novo chip Exynos 9825, mas em outros o Note 10 terá o Snapdragon 855… quando o Snapdragon 855 Plus já existe. Não dá para entender essa decisão.

4. Incompatibilidade com os óculos de RV: a Samsung não atualiza o seu óculos Gear VR desde 2017, e parece que não tem interesse na evolução do produto. Lembra do Mark Zuckerberg aparecendo do nada enquanto os presentes no evento da Samsung assistiam tudo com os óculos de RV? Pois é… pode esquecer essa cena.

5. Nada de microSD no Note 10: o slot está no Note 10+, mas desapareceu no Note 10. A explicação da Samsung é a mesma para o desaparecimento do conector para fones de ouvido: mais espaço para integrar uma bateria maior. Agora… sério mesmo que precisava disso?


Compartilhe