Compartilhe

A Huawei apresentou oficialmente o HarmonyOS, o sistema operacional para chamar de seu. O software é destinado a qualquer dispositivo que podemos considerar como inteligente, seja ele um computador, um tablet, um telefone, um relógio, um carro ou dispositivos domésticos que podem pensar por si de alguma forma. Seu kernel parte do Linux e, tal e como acontece com a EMUI, é capaz de executar aplicativos Android.

Nesse post, mostramos como ele é com um pouco mais de detalhes

 

 

De código livre e compatível com aplicativos Android

 

O HarmonyOS foi apresentado na Huawei Developer Conference, e foi a paulada na mesa da empresa chinesa, afirmando que este é o seu futuro no software.

Este é um sistema operacional de código aberto com base no Linux, cuja principal característica está na sua adaptação a múltiplos formatos e telas, indicando que esse é o SO perfeito para todos os tipos de dispositivos.

Desenvolvido em 2017, o novo sistema é capaz de executar aplicativos Android, mesmo destinado a rodar apps em HTML5. Nas suas especificações, o HarmonyOS conta com uma estrutura de microkernel cujas vantagens estão mais na segurança na hora de conceder permissões de superusuário a determinados processos e aplicativos.

 

 

Essa estrutura, diferente de outros sistemas operacionais, está baseado em um núcleo que controla a latência dos recursos para gerenciar esses aplicativos, dando a prioridade aos apps que estão executando em tempo real para oferecer um maior desempenho que outros sistemas operacionais, como é o caso do Android.

Isso permite também manter tanto a interface como a experiência de uso em qualquer dispositivo, independente do seu formato. Você não precisa de um SO programado especificamente para cada tipo de dispositivo, pois o HarmonyOS chega como um sistema universal que se propõe a manter as mesmas características em todos os seus aplicativos, assim como o desempenho e os aplicativos.

 

 

Não vai substituir o Android (por enquanto), com lançamento em 2020

 

 

Segundo palavras da própria Huawei, o HarmonyOS não vai substituir o Android em smartphones e tablets, mas pode ser uma opção a ser considerada se as relações com o Google fiquem mais tensas no futuro. Sobre a sua chegada oficial ao mercado de consumo, a Huawei estima que será a partir de 2020, quando os primeiros computadores da empresa desembarcarem com o software no mercado.

Aqui, é esperado o lançamento de um compilador compatível com múltiplas linguagens de programação além do Java e HTML5. A primeira TV da Honor com tal sistema operacional já chegou ao mercado.

Depois disso, a Huawei vai centrar os seus esforços em otimizar o código do software, assim como a facilidade na hora de implementá-lo em múltiplos dispositivos, incluindo carros, tablets, óculos de realidade virtual, computadores portáteis, relógios inteligentes e, é claro, smartphones.


Compartilhe