Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Notícias | Samsung coloca Exynos como prioridade em 2024

Samsung coloca Exynos como prioridade em 2024

Compartilhe

Ontem (18), a Samsung anunciou a chegada do seu novo processador, o Snapdragon 8s Gen 3, para abastecer os segmentos de smartphones de linha média e premium. E a Samsung não demorou muito tempo para responder a algo que ela considera como “um ataque”, mesmo que não declare isso de forma oficial.

Os sul-coreanos vão dobrar a aposta nos chips Exynos, para desespero de algumas pessoas que entendem que a Qualcomm entrega os melhores processadores para smartphones do planeta.

Vamos entender quais são os planos futuros da Samsung para o seu segmento de processadores para smartphones, tablets e outros dispositivos móveis.

 

A dinâmica de momento

A escolha entre Exynos e Qualcomm nos smartphones da Samsung sempre foi um tema complexo.

Durante anos, a empresa sul-coreana utilizou chips de diferentes fabricantes em seus modelos, dividindo o mercado entre Qualcomm nos EUA e Coreia do Sul e Exynos no restante do mundo.

Essa estratégia começou a mudar com a família Galaxy S23, que adotou o Snapdragon em todas as variantes brasileiras. Já a nova geração Galaxy S24 apresenta uma mudança parcial: o Exynos retorna para os modelos S24 e S24+, enquanto o S24 Ultra mantém o Snapdragon.

Eu sei. É meio estranho para mim também. E a Samsung é meio estranha de tempos em tempos. Tente se acostumar com isso.

A decisão de utilizar o Snapdragon em modelos premium como o S24 Ultra é uma ótima notícia para os usuários mais exigentes, que buscam o máximo desempenho. Por outro lado, quem tem que pagar a conta é a própria Samsung, que gasta uma grana para personalizar este processador para oferecer uma experiência exclusiva para os seus usuários.

E no caso do Galaxy S24 Ultra, os investimentos foram ainda maiores. O “for Galaxy” para o Snapdragon 8 Gen 3 foi pensado também no Galaxy AI, motor de Inteligência Artificial do dispositivo. Então, pense no quanto a Samsung gastou em Indústria e Desenvolvimento, e você vai entender por que esse telefone premium custa tão caro.

Por tudo isso, a Samsung está procurando alternativas para reduzir os seus gastos em processadores. E nada melhor do que investir no seu próprio chip para não dar dinheiro para a concorrência.

 

Qualcomm cobra caro demais

Segundo fontes coreanas, a Samsung gastou 8,87 bilhões de dólares em 2024 na divisão responsável por eletrônicos de consumo, que inclui os smartphones Galaxy. Esse valor representa um aumento de 3,1% em relação ao ano anterior, impulsionado principalmente pelo aumento de preço de semicondutores como os da Qualcomm.

Lembra que eu escrevi um artigo questionando os preços mais elevados para os smartphones que recebem os processadores Snapdragon 8 Gen 3? Então… eis uma prova do que eu quis dizer naquele texto.

A Samsung afirma que o preço de algumas das matérias-primas para chips subiu cerca de 30% em 2024, o que elevou consideravelmente os custos de produção.

Nesse contexto, o Exynos se apresenta como uma opção mais econômica para a empresa, especialmente em modelos onde o desempenho do processador não é um fator crucial para o consumidor médio.

Tradução do parágrafo anterior: a tendência é que a Samsung aposte ainda mais nos processadores Exynos nos telefones intermediários, onde o melhor desempenho possível é para as tarefas do dia a dia, e não para o Genshin Impact.

Então, não será surpresa se o futuro Galaxy S24 FE receber um chip Exynos no lugar do promissor Snapdragon 8s Gen 3. E estou falando isso desde já para que você não fique decepcionado no futuro com um anúncio dos sul-coreanos confirmando algo que escrevi em março de 2024.

 

Gastar mais dinheiro no que é seu

De acordo com as fontes, a Samsung pretende “ampliar significativamente” a adoção do Exynos a partir de 2024. A empresa está concentrando esforços em reduzir os custos de aquisição de processadores, e os modelos Galaxy S24 e S24+ são exemplos dessa estratégia.

Modelos de entrada e intermediários, como os futuros substitutos do A55 e A35, também devem continuar utilizando o Exynos (o A34 de 2023 utilizou um chip da MediaTek, e já foi substituído este ano por um SoC da Samsung).

Considerando os fatos apresentados, isso faz todo o sentido do mundo. E só imagino que este cenário vai mudar em algum momento se a própria Qualcomm reduzir os preços de seus processadores.

É claro que a chegada do Snapdragon 8s Gen 3 pode mudar essa dinâmica no futuro, com a Samsung apostando pontualmente neste processador em modelos específicos (como é o caso do Galaxy S24 FE).

Mas a lição deixada pela Apple com o seu SoC próprio e lucros (quase) obscenos me leva a crer que a Samsung vai (de novo) repetir o modelo de negócio de sua principal concorrente no mercado de telefonia móvel para ver o dinheiro em caixa aumentar mais um pouco.

O único grande desafio da Samsung neste momento é alcançar a Qualcomm em termos de desempenho e, mesmo assim, essa é uma questão relativa para boa parte dos usuários. Quem usa o Galaxy A54 até hoje não está reclamando do desempenho dos chips Exynos, e acredito que o Galaxy A55 será um novo campeão de vendas para os sul-coreanos.

Por outro lado, o Exynos 2400 presente no Galaxy S24 é competente o suficiente para agradar a muitos dos seus clientes, mas os mais exigentes ainda ficam incomodados pelo fato desse processador ficar atrás das soluções da Qualcomm em benchmarks e testes de performance.

Resta saber se a Samsung conseguirá finalmente superar a Qualcomm no futuro e oferecer um Exynos que seja realmente competitivo em todos os aspectos. Ou se apenas o modelo S Ultra será o cliente da concorrência para oferecer “o melhor do melhor” para os consumidores.

O futuro (sempre ele) vai nos dizer.


Compartilhe