Compartilhe

Eu sou um defensor dos Chromebooks. A proposta me atende muito bem como o meu segundo computador para viagens e uso mais básico (mais especificamente a produção de textos para este blog). Por isso, para substituir o querido Acer Chromebook R11, optei pelo Samsung Chromebook Connect (XE501C13-AD2BR), o portátil com Chrome OS mais recente lançado pela empresa sul-coreana.

Vou confessar que o meu mundo perfeito pedia pela compra do Samsung Chromebook Plus, mas na época eu não tinha esse orçamento todo para isso (quem sabe no futuro pós-pandemia…). E muitos vão perguntar logo de cara: “por que você trocou um modelo mais potente por outro tecnicamente inferior”?

Primeiro, porque eu queria testar esse modelo. Queria saber quais eram as melhorias que o Samsung Chromebook Connect poderia oferecer em relação ao Samsung Chromebook 3, outro modelo que eu tive a oportunidade de ser proprietário. Segundo, porque o Acer Chromebook R11 que estava comigo já estava se tornando insuficiente para as minhas necessidades (era hora de passar para frente). Terceiro, porque eu queria um produto com 12 meses de garantia.

Mas… será que eu fiz um bom negócio? Será que valeu a pena? Me arrependi amargamente com a troca?

As respostas para essas e outras perguntas agora, com esse review.

 

 

 

Review em Vídeo

 

 

 

 

 

Características físicas

 

 

O Samsung Chromebook Connect é um notebook que é esteticamente mais simples que o Samsung Chromebook 3. Seu acabamento em cinza fosco não me incomoda, mas não dá para negar que o modelo atual é mais simples nesse aspecto, e algumas pessoas podem entender que o produto é mais “barato” por causa disso. Porém, é importante lembrar que tal decisão não se reflete no preço final do produto.

A boa notícia aqui é que o acabamento em cinza fosco não deixa marcas de dedo, e é esteticamente mais aceitável que um acabamento em preto mate.

O novo Chromebook da Samsung é mais espesso que a geração anterior, com linhas mais retas e sem muitas modificações nas disposições das portas de conexão. A simplicidade e objetividade desse tipo de notebook sempre me agradou, e para um produto que quer passar mais desapercebido no meio da multidão, ele consegue cumprir o seu papel.

 

 

 

Tela

 

 

O Samsung Chromebook Connect tem a tradicional tela de 11.6 polegadas, com resolução HD (1366 x 768 pixels), no padrão TN. De novo, não é a melhor tela que você vai encontrar em um notebook, mas considerando a sua proposta e faixa de preço, não poderá reclamar muito disso. Aliás, você já deveria estar acostumado, pois praticamente todos os fabricantes repetem a mesma escolha.

No final das contas, a tela exibe cores mais lavadas e com menor contraste, mas é o suficiente para a visualização da interface do sistema operacional e dos elementos gráficos com competência. Aqui, a escolha é compreensível e ajuda a explicar o relativo baixo custo do modelo em questão.

 

 

 

Hardware

 

 

Um hardware básico, para rodar bem o Chrome OS.

O Samsung Chromebook Connect conta com um processador Intel Celeron N3060, trabalhando com 4 GB de RAM e 16 GB de armazenamento (nesse modelo que eu adquiri; bem sabemos que existem versões desse portátil com 32 GB de armazenamento, mas não encontrei esse modelo com um preço que eu considerasse justo e aceitável na época da compra).

Antes de prosseguir, devo dizer que a configuração que eu escolhi é a mínima considerada aceitável para rodar o Chrome OS sem maiores problemas no futuro. Não importa o que aconteça, não escolha a versão com apenas 2 GB de RAM. Com essa quantidade de memória, você só vai encontrar dores de cabeça no futuro.

Dito isso, a regra permanece a mesma de outros Chromebooks do mesmo porte e faixa de preço. O armazenamento em eMMC mata um pouco da experiência de uso (um dia eu ainda vou testar o Chrome OS em um SSD de verdade), mas os 4 GB de RAM e toda a otimização do sistema operacional garante que o portátil seja funcional para as tais tarefas mais básicas.

 

 

 

Teclado e Touchpad

 

 

Aqui, para quem veio de um Acer Chromebook R11 com um teclado excelente, a curva de readaptação para as teclas mais reduzidas do Samsung Chromebook Connect foi um pouco sentida. Nem tanto, pois meu notebook para uso diário (Dell Latitude E5250) já tem teclas reduzidas. A vantagem aqui é que agora eu não preciso mais programar o meu cérebro para dois layouts de teclado, uma vez que agora os dois notebooks estão no padrão brasileiro de distribuição de teclas.

No final das contas, mesmo não sendo excepcional, a experiência de digitação com o Connect é boa. Basta você ter um pouco de paciência com essa tal curva para se adaptar ao teclado com dimensões menores, espaçamento entre teclas reduzido e tempo de percurso de tecla que às vezes dá a impressão que você não acionou aquela letra que você queria.

O touchpad também não apresenta nada de muito excepcional. É funcional para as necessidades mais básicas, e a tendência é que você não vai se irritar ao utilizá-lo no dia-a-dia. De um modo geral, a Samsung foi bem honesta ao oferecer esses dois itens do seu hardware mais ou menos alinhados com a sua proposta geral de preço.

 

 

 

O Chrome OS e o seu desempenho

 

 

Sobre o Chrome OS em si, não há muito o que dizer, a não ser que ele continua evoluindo e ficando cada vez mais completo. Como o sistema operacional em si não pode ser customizado, você tem aqui basicamente o mesmo desempenho que podemos encontrar nos seus demais concorrentes de preço ou com características semelhantes.

Devo dizer que os mais exigentes vão sim perceber que o Acer Chromebook R11 é discretamente mais ágil para realizar as tarefas que o Samsung Chromebook Connect (pode não parecer, mas o N3160 faz diferença em relação ao N3060). Por outro lado, não há demérito nenhum por parte da proposta da Samsung, que é consideravelmente mais barato (também por conta dessa diferença de hardware), mas plenamente funcional para atender aos objetivos do usuário que compreende muito bem o que quer fazer com o Chrome OS.

Lembrando sempre que você pode utilizar os aplicativos do Android nesse Chromebook, o que é algo bem útil para muitos usuários que querem os jogos e os aplicativos offline. Sem falar no suporte ao Linux, que expande ainda mais as possibilidades para os usuários mais experientes e habilidosos, especialmente os programadores.

 

 

 

Bateria

 

 

Mais uma vez, um dos principais motivos (ou talvez o principal motivo) para adquirir um Chromebook (pelo menos para mim é).

O Samsung Chromebook Connect tem uma autonomia de bateria prometida de até 11 horas de uso normal (navegação na internet, produção de textos, etc), e realizando essas tarefas e com o brilho na posição automática (sem reduzir nada do brilho), esse notebook consegue trabalhar por, pelo menos, 10 horas. E isso é exatamente o que eu precisava nesse momento (são 3 horas a mais que o Acer Chromebook R11 estava me entregando).

E isso porque eu deixo várias abas do Chrome abertas e, de vez em quando, ainda ouço rádio via streaming.

Então, para quem precisa de um notebook leve e compacto para o uso em qualquer lugar, mas precisa de uma longa autonomia de bateria porque vai ficar o dia inteiro longe da tomada, o Samsung Chromebook Connect é uma excelente escolha.

 

 

 

Conclusão

 

 

Não há muito o que dizer sobre o Samsung Chromebook Connect. Ele cumpre muito bem o que promete, e é uma solução que pode atender aos usuários que precisam de um segundo notebook para produzir conteúdos em texto ou navegar na internet em qualquer lugar. Quem compreende o propósito e as limitações do Chrome OS, observando para todas as características técnicas do produto certamente vai se beneficiar desse simples, porém, eficiente notebook.

E vida longa ao Chrome OS!


Compartilhe