Compartilhe

Eu me cansei dos fones de ouvido por cabo (mentira, o HP H2310 é um excelente fone). Tive uma imensa decepção com o fone JBL que acompanha o Samsung Galaxy S9 (calma, eu não comprei o smartphone, mas sim o fone de ouvido), e decidi que chegou a hora de avançar para um fone de ouvido sem fio.

E o escolhido para essa missão foi o Redmi AirDots.

Depois de ler e ouvir vários comentários sobre o produto, e concluir que ele era tecnicamente superior ao Xiaomi AirDots, adquiri um par dos fones Redmi AirDots por menos de R$ 200. Ele é muito mais barato do que várias das alternativas disponíveis no mercado (incluindo é claro as opções da Apple e Samsung), mas restava a dúvida sobre o seu equilíbrio nos recursos e a sua relação custo/benefício.

Nesse review, eu tento eliminar as dúvidas diante da minha perspectiva de uso com o produto, apresentando as impressões que obtive depois de quase dois meses de uso. Meu objetivo aqui é agregar ao conteúdo de pesquisa daqueles que estão com dúvidas sobre a compra do Redmi AirDots.

 

 

Características Físicas

 

 

Uma coisa que determinou a escolha pelo Redmi AirDots foi o seu tamanho diminuto e discreto. A maioria dos reviews fala sobre o seu melhor encaixe no ouvido que o Xiaomi AirDots, e posso comprovar isso depois de meses de uso com o dispositivo. Em nenhum momento eu corri o risco de ter os fones caindo dos meus ouvidos, e como o dispositivo contam com três adaptadores de silicone no kit de venda, acredito que qualquer tipo de usuário vai se adaptar bem com o produto.

O kit de venda é composto basicamente dos fones, a sua caixa de recarga, os adaptadores de silicone e os manuais. E nada mais. Algumas pessoas podem criticar o fato de não contar com um cabo microUSB no kit de venda, mas o objetivo aqui é baratear ao máximo o valor final do produto (se bem que… o quanto pode custar um cabo microUSB para um fabricante como a Xiaomi), e nesse caso qualquer cabo nesse padrão pode funcionar com o produto.

Outro ponto de “crítica” (coloco “entre aspas”, porque não é algo tão grave quando olhamos para o contexto geral do produto) é a presença do conector microUSB no lugar de uma porta USB Type-C. Não só porque esse é o padrão do futuro, mas também pelo fato de permitir uma recarga rápida da bateria da caixa.

Caixinha essa que, por sinal, é bem frágil. Além do fato de eu mesmo ser alguém meio estabanado, ver essa caixinha quebrando dá uma certa tristeza, pois tira parte da praticidade de portabilidade do produto. Por outro lado, o dispositivo seguiu funcionando sem maiores problemas, inclusive com o recurso de recarga da bateria interna e dos fones plenamente funcional.

A caixa de recarga conta com imãs na tampa e em sua estrutura interna, para que ela fique bem presa enquanto está recarregando os fones dentro dela. Isso garante a segurança para não perder um dos fones, algo fundamental para ele ser portátil nas jornadas do dia a dia.

Os fones em si, além de pequenos, são leves e confortáveis. Você não sente em absolutamente nada o peso desses fones no ouvido, e mesmo para um uso prolongado ele não causa incômodo ou desconforto.

 

 

O produto em funcionamento

 

 

O Redmi AirDots é de simples configuração. Não é difícil realizar o pareamento dos fones com o smartphone em si, mas eu percebi que, com o passar do tempo, ele deixou de parear automaticamente com o Pocophone F1. Para mim, não causou muito incômodo, pois até prefiro realizar o pareamento manual, deixando de lado o automático quando os fones são retirados da caixa. Porém, para os usuários que buscam automatizar tudo com os seus dispositivos conectados, essa anormalidade pode irritar um pouco.

Mas isso não quer dizer que os fones não funcionam bem para o seu propósito principal, que é a audição musical. Quero dizer, para quem quer um fone de ouvido simples e básico para escutar música em qualquer lugar e de forma casual, o Redmi AirDots cumpre o que promete, entregando uma boa qualidade de som.

Boa, mas não ótima. Mas não dá para exigir demais de um fone que tem como principal objetivo ser barato e eficiente para quem quer ouvir música e nada mais. Os viciados em música e usuários mais exigentes com certeza terão que buscar outras alternativas no mercado, mais caras e com maior qualidade técnica.

Uma vez sincronizado com o smartphone, todos os aplicativos que eu executei para música, vídeo e conteúdos multimídia/entretenimento funcionaram sem maiores problemas. Mesmo no caso dos vídeos do YouTube, eu não percebi os delays alegados por alguns reviews que li e assisti na internet e, nesse aspecto, o produto funcionou dentro do esperado.

Para os usuários preocupados com a comunicação por voz, um conselho: pense duas vezes antes de adquirir o Redmi AirDots.

A outra pessoa do outro lado da linha só vai ouvir você de forma plena e clara em um ambiente sem ruídos e com poucos obstáculos (ou paredes) no caminho. Se você estiver no meio da rua com um trânsito considerável e um grande volume de pessoas ao seu redor, com certeza você não será ouvido pela outra pessoa da chamada. O mesmo acontece se você estiver enfrentando uma situação onde o vento se faz presente com maior força. A redução de ruído deixa um pouco a desejar.

Os fones funcionam via Bluetooth, e com uma certa distância do dispositivo. Até acredito que ele permita o funcionamento a 10 metros de distância do telefone, mas apenas em um campo aberto. Se você tem paredes no meio do caminho, a interferência se fará presente. O meu apartamento é pequeno, e com pouco mais de cinco metros e uma parede de intervalo, e a outra pessoa não conseguia me ouvir direito durante as chamadas. Já para ouvir a música ou as chamadas recebidas, os 10 metros de distância estão garantidos.

Sobre a qualidade de áudio dos fones, eu sempre considero que “qualidade de áudio” é algo subjetivo, mas me considero um usuário exigente nesse aspecto (até porque eu trabalho com música). Dito isso, eu entendo que o volume de áudio do Redmi AirDots é um pouco abaixo do que eu desejo como consumidor de música, mas ao menos o sistema de isolamento do ruído externo funciona bem, o que resulta em um áudio agradável para a maioria dos usuários.

Eu sei que em alguns dispositivos existem recursos que podem melhorar o resultado final nesse aspecto, e cada usuário terá que fazer uma pesquisa mais aprofundada sobre o comportamento dos fones nesse aspecto com modelos de diferentes fabricantes. A experiência de uso tende a variar também em função do dispositivo com o qual ele está sincronizando.

 

 

Bateria

 

 

A autonomia de bateria é um capítulo a parte no Redmi AirDots.

Esse foi um dispositivo que eu não comprei por causa da longa autonomia de bateria, e isso me preocupou um pouco antes de comprar. No meu entendimento, ele precisa durar pelo menos a autonomia prometida pelo fabricante. Dessa forma (quem sabe), eu posso fazer as minhas viagens de ônibus e, a cada parada, eu recarrego o dispositivo para ouvir mais um pouco de uso.

Em teoria, os fones Redmi AirDots contam com uma autonomia de até quatro horas de uso, mas na prática tudo vai depender do uso que você vai dar ao produto: se você só vai ouvir música, é provável que os fones alcancem as quatro horas de autonomia. Se você vai realizar chamadas de voz, a autonomia é menor, não alcançando as 3h30.

A boa notícia é que esses fones recarregam rápido (no máximo uma hora armazenados na caixa de transporte), assim como a sua caixa de transporte, apesar do conector microUSB (no máximo em duas horas). Isso dá uma relativa liberdade para uma autonomia de bateria prolongada no dispositivo. No total, os fones podem funcionar por pelo menos nove horas ininterruptas, o que é um bom número se considerarmos as 10 horas estimadas pela Xiaomi.

 

 

Conclusão

 

 

O Redmi AirDots cumpre o que promete, ou seja, é um fone de ouvido sem fio básico, que entrega uma boa qualidade de áudio em uma proposta que prioriza a relação custo-benefício. Não é o melhor fone de ouvido Bluetooth que você vai encontrar no mercado, mas em nenhum momento ele se propôs a ser isso, ou prometeu que seria.

Os usuários mais casuais certamente vão se beneficiar das suas virtudes, desde que deixe de lado alguns dos seus problemas. Já os mais exigentes devem procurar uma outra alternativa para chamar de sua.

 


Compartilhe