Quantos dados são enviados para a web enquanto você lê esse post?

Compartilhe

Repita comigo, amigo leitor mais cético e que ainda acredita que os seus segredos estão bem protegidos dos olhos alheios: privacidade na internet é algo que não existe.

O simples fato de você se conectar na rede mundial de computadores, fazer uma pesquisa no Google sobre um tópico relacionado a algum assunto e cair nesse artigo que você está lendo já é o suficiente para que, de alguma forma, algum tipo de informação sobre você, o seu computador ou essa conexão acabe caindo nas mãos de alguma empresa.

Pode até mesmo ser o Google, aquele que tudo sabe e tudo vê.

Dizem que, em questão de segundos, qualquer internauta pode gerar mais informações do que tudo o que a humanidade guardou durante séculos. Se isso é verdade, não dá para saber, pois é difícil estimar isso de forma correta. Porém, não podemos negar que nós, internautas de todo o mundo, criamos uma quantidade assustadora de dados na internet.

Ou essas informações são criadas sozinhas, a partir do cruzamento dos dados de comportamento dos internautas, onde diferentes perfis de acesso são criados, mesmo que tais sistemas inteligentes de monitoramento não saibam quem é quem em um primeiro momento. De qualquer forma, é um volume de dados simplesmente impressionante, e que não para de crescer.

Pensando em todos esses dados e no direito das pessoas em saber quem está de olho nessas informações, o WebFx tem uma página que é muito interessante nesse sentido.

 

 

 

O quanto você alimentou a internet com dados?

 

Não é apenas a quantidade de dados que são gerados de forma automática em máquinas de caixa automático, computadores programados para executar uma determinada ação, ou relógios e pulseiras esportivas que enviam os dados de sua caminhada diária. Também devemos considerar os dados que são enviados para a web de forma manual, onde novos dados são criados em função disso.

As redes sociais são uma fonte praticamente inesgotável de informações, e quando você terminar de ler este parágrafo, teremos pelo menos 219 mil novas publicações no Facebook, 22.800 novos tweets e 7.000 downloads e instalações de aplicativos diversos.

E tudo isso gera um festival inesgotável de dados.

De acordo com uma estimativa realizada pela Cisco no passado, a cada segundo, são enviados para a internet mais de 24.000 GB de dados. Porém, esse número hoje já é muito maior, e não há indícios que veremos uma desaceleração desse volume de dados no futuro.

Será exatamente o contrário.

Durante todo o tempo que você gastou para ler esse post com atenção, mais de 3.6 milhões de GB de dados foram enviados para a internet. Algo que você deve levar em consideração é que quase toda a informação enviada está diretamente associada com um benefício econômico, mas esse é um aspecto um pouco mais complexo para uma análise mais profunda nesse momento.

Mas vale a pena ver em tempo real (de forma estimada, é claro) a quantidade de dados que são enviados online através de publicações nas redes sociais, match no Tinder ou conteúdos no WhatsApp. Clicando nesse link, você vai ver números que podem deixar algumas almas mais sensíveis com falta de ar.

Mas para obter um conhecimento um pouco maior sobre o tema… vale a pena os enjoos.


Compartilhe