Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Games | Por que a Microsoft está reduzindo o preço do Xbox Series X (lá fora, não no Brasil)?

Por que a Microsoft está reduzindo o preço do Xbox Series X (lá fora, não no Brasil)?

Compartilhe

Algumas decisões tomadas recentemente pela Microsoft em relação aos preços cobrados pelas duas versões de seu console de videogames de última geração estão dando o que falar. E dessa vez, não vou falar do preço do Series S no Brasil.

Lá fora, o Xbox Series X subiu de preço ao longo de 2023, revoltando a muitos usuários. Porém, nos últimos meses, foi observada uma queda significativa de valor do produto, mesmo em ofertas temporárias.

Além disso, o Xbox Series X é encontrado lá fora em promoções atraentes, incluindo bundles com jogos como Diablo VI. A estratégia entra em contraste com o que acontece aqui e com a estabilidade de preço do PS5 no mercado internacional.

O que está acontecendo? Onde a Microsoft quer chegar com essas decisões?

 

PS5 manda na atual geração

Analisando as vendas, os números revelam que o PS5 vendeu mais que o dobro das unidades distribuídas do Xbox Series X e Series S, combinados. Este desempenho aquém das expectativas da Microsoft, e é surreal ver essa surra acontecendo dessa forma.

Tudo indica que o grande público consumidor não está interessado no Xbox Series X. Boa parte dos gamers da Microsoft muito provavelmente investiu no Series S, que entrega a melhor relação custo-benefício.

Porém, o Series S não rende margens de lucro para a Microsoft, que começa a ter prejuízos ao produzir um console de videogames mais caro e potente (como é o Serie X), mas que está encalhado nas lojas.

Diante disso, a Microsoft adota uma estratégia de redução de preço para atrair os consumidores, aceitando possíveis perdas por unidade vendida, mas visando a compensação nas vendas de jogos e serviços.

Mas não podemos olhar apenas para a fotografia de presente para justificar a decisão. É preciso olhar para o futuro, pois alguns movimentos foram detectados para um possível sucessor do Xbox Series X.

 

Uma nova geração de videogames a caminho

A Microsoft, ciente da derrota nesta geração, considera antecipar o lançamento do sucessor do Xbox Series X em 2026, visando uma vantagem temporal antes do lançamento do PS6, programada para 2027 ou 2028.

Caso essa informação se confirme, a coexistência de ambas as gerações é prevista por um ou dois anos, minimizando a insatisfação dos usuários atuais. A empresa deverá lançar jogos exclusivos para demonstrar o potencial do novo console.

Por outro lado, esse movimento pode resultar no efeito contrário: quem gastou uma grana no Series S ou Series X pode ficar extremamente irritado ao ver um produto que tem potencial de anos de funcionamento ser preterido mais cedo que o desejado.

A Microsoft precisa calcular muito bem esse movimento antes de lançar um console de nova geração para substituir a atual. A SEGA fez mais ou menos a mesma coisa na transição do Saturn para o Dreamcast, e todo mundo que acompanhou a época sabe muito bem como isso terminou.

De qualquer forma, especula-se que o futuro console de videogames de próxima geração da Microsoft pode ter a CPU Zen 6 substituída por uma baseada na Zen 5.

Quanto à GPU, a previsão é para a presença de uma Radeon RDNA 5 ou uma solução RDNA 4 com características da RDNA 5. Aumentos na memória para 32 GB e SSD de 2 TB também são esperados.

Se tudo isso se confirmar, teremos um salto significativo em desempenho, tanto em renderização quanto em ray tracing. Além disso, possíveis implementações do AMD FSR são cogitadas.

Os rumores iniciais sugerem que o preço da próxima geração da Xbox será mais baixo que o do PS6, seguindo precedentes históricos, como foi o caso da Xbox 360, que foi lançada antes da PS3 a um preço inferior.

 

Conclusão

A derrota iminente da Microsoft na atual geração pode impactar a vida útil da Xbox Series X e Series S, embora a coexistência temporária com a próxima geração seja uma estratégia para evitar alienar os usuários atuais.

Pode parecer um ato desesperado da Microsoft em antecipar o lançamento dos consoles da próxima geração, oferecendo apenas seis anos de vida útil para os videogames atuais da empresa.

Como consumidor, eu me sinto incomodado com essa pressa. Como analista em tecnologia, quero esperar pacientemente e observar os acontecimentos de presente para tirar as minhas conclusões.

Phil Spencer deve saber o que está fazendo. Ou não, pois aumentou o preço do Series S no Brasil em quase R$ 1 mil. O que me consola é ver que os aumentos de preços insensatos não aconteceram apenas no Brasil.

Nesse momento, é complicado entender o que a Microsoft realmente quer com o Xbox. Por isso, só me resta olhar para o passado e alertar como essa história pode terminar.

De novo: a SEGA marcou o seu desaparecimento por fazer exatamente a mesma coisa. Será que vale a pena para a Microsoft repetir o erro?


Compartilhe