Mais uma vez, vamos abordar no TargetHD.net um tema um tanto quanto indigesto: o plágio. Não apenas nos blogs de tecnologia ou editorias em geral, mas principalmente nos textos universitários, conteúdos acadêmicos e ambientes escolares.

Nesse post, vamos focar nas universidades e apresentar uma ferramenta que algumas dessas instituições estão utilizando, o plag.pt, site que detecta se um texto é original, o quanto que ele é considerado original, ou o quanto que ele foi copiado praticamente na íntegra.

 

 

O que é plágio?

Plágio é a violação do direito autoral, incluindo a cópia ou a reprodução não autorizada de uma obra protegida pelos direitos de autor. No caso de um texto, basta um trecho ser copiado sem citar a respectiva fonte, e o plágio está estabelecido.

 

Quais são os tipos de plágio?

Existe o plágio direto, onde o texto é copiado na íntegra, sem referência de autores, e o plágio indireto, onde parte do texto é autoral e outra parte pertence a outras fontes, que também não recebem crédito.

 

Plágio no Brasil é crime?

Sim. De acordo com o Código Penal, a violação de direitos autorais prevê multa ou detenção que pode variar de 3 meses a 4 anos.

 

Como as universidades brasileiras controlam o plágio?

É um processo um pouco complicado, mas é possível.

Alguns professores universitários que consultamos para a produção desse texto afirmam que é possível detectar o plágio em trabalhos acadêmicos, através da comparação de estilos de escrita e até pela sensação de já ter visto aquele artigo em algum lugar. Então, uma rápida pesquisa nos arquivos da universidade pode comprovar a prática.

Por outro lado, com o advento da internet, os alunos estão buscando outras fontes de pesquisa e trabalhos que não são os mesmos já apresentados naquela instituição. E aí as ferramentas online entram em ação para auxiliá-los.

 

Como os alunos estão plagiando trabalhos e artigos acadêmicos?

Da forma mais óbvia na era da internet: procuram trabalhos e artigos com o mesmo tema que querem abordar disponíveis em outras universidades ou até em outros países ou idiomas. Então, aqui começa o trabalho de “retalhagem” desse conteúdo, copiando e colando trechos de diferentes artigos, criando uma estrutura minimamente lógica e alinhada com o que ele quer abordar, e apresentando como um trabalho totalmente inédito.

Um dos argumentos para os alunos apelarem para o plágio nos trabalhos acadêmicos é a falta de tempo para sentar diante do computador e produzir as suas próprias ideias. Por isso, acabam se valendo da praticidade da internet para montar os trabalhos em forma de quebra-cabeça ou em modo Frankenstein (com partes vindas de diferentes lugares).

 

Como o Plag.pt pode ajudar nesse caso?

Por incrível que pareça, o plag.pt é uma ferramenta que pode ajudar nas duas pontas do processo.

No caso dos professores, a ferramenta ajuda a detectar o plágio e suas tentativas de forma mais rápida e automatizada, o que faz com que o educador ganhe tempo sem precisar ficar procurando manualmente em diferentes fontes de pesquisa. Além disso, cobre os resultados de artigos que não estão na base de dados da universidade, e entrega resultados mais rápidos e precisos.

E, no caso dos alunos que realmente querem produzir um conteúdo 100% autoral, o plag.pt pode ajudar e muito, identificando se o seu texto ou parte dele não coincide com a produção de outros autores. Pode acontecer do aluno já ter identificado aquela ideia e construção narrativa antes, mas de forma “inconsciente” acabou escrevendo algo similar.

Em resumo: o plag.pt pode ser uma poderosa ferramenta de detecção de plágio online, auxiliando professores e alunos no melhor desenvolvimento de conteúdo educacional. Vale a pena você ao menos tentar se familiarizar com o serviço. Ele pode ser útil quando você mais precisa.