Compartilhe

Por convenção (técnica ou estabelecida pela comunidade), todos se acostumaram a definir os vídeos em 720p como HD ou Alta Resolução. Bom, agora o YouTube não entende assim, e isso pode ser importante para todo um setor, já que a plataforma de vídeos via streaming mais popular do mundo tem uma espécie de “monopólio” nas mãos.

Não é um monopólio literal, mas é uma plataforma que tem peso no segmento por conta da enorme massa de usuários que tem nas mãos. O problema é que parte desses usuários não estão de acordo com o YouTube com essa nova definição.

O sistema de medição da resolução foi criado pelos fabricantes de televisão, a partir do salto das TVs de tubo para as telas LED planas, onde a resolução 720p foi estabelecida nas telas com 1280 x 720 pixels, que receberam a sigla HD. Com o passar dos anos, o tempo foi adaptado para os novos padrões (Full HD para o 1080p, e Ultra HD ou UHD para o 4K).

Mas faz algum tempo que o YouTube não mais considera os vídeos em 720p como HD. Em qualquer navegador que você acessar a plataforma, o símbolo HD em vermelho não mais aparece nos vídeos em 720p, apenas nos vídeos em 1080p ou superiores. Em algumas versões para consoles de videogames, o logo 720p HD ainda aparece, assim como em várias TVs, tablets, monitores e outros eletrodomésticos.

 

 

 

Apenas uma mudança no termo ou um convite para os formatos de maior resolução?

 

 

O YouTube não deixou de exibir vídeos em 720p nem diminuiu a qualidade desses vídeos. Só deixou de chamar de vídeos em alta definição. Não há uma explicação do Google sobre essa decisão, e o mais provável é o fato da plataforma receber mais e mais vídeos em 2K, 4K e 8K, de modo que os vídeos em HD “padrão” passam a ser em Full HD (1080p), o que deixa a resolução de 720p em um padrão inferior.

Também joga contra os vídeos em 720p o baixo bitrate que o YouTube possui, o que deixa esses vídeos borrados quando há muito movimento.

É importante levar em consideração que a nomenclatura do HD ou não HD está alterando de acordo com o dispositivo escolhido para a visualização de vídeos, e isso pode mudar também em função do país onde o usuário está. Acredito que não é possível adotar essa regra em escala global também por causa das diferentes qualidades de internet adotadas em diferentes países.

Todo mundo sabe que uma resolução padrão mais alta significa um maior consumo de dados. Mas como essa é apenas uma alteração de terminologia e não de vídeo padrão estabelecido na plataforma, não devemos ter maiores problemas no impacto de consumo. Talvez na proposta do YouTube em motivar os usuários ao maior consumo de vídeos em resoluções mais altas.

E, mesmo assim, esse consumo de vídeo em Full HD, 2K, 4K e 8K é claramente proposto nas telas com grandes dimensões. Porém, essa é apenas uma teoria. O YouTube precisa se explicar melhor sobre essa decisão.

Vamos ver se outras plataformas vão seguir os passos do YouTube, e se os fabricantes de TVs, monitores e outros tipos de tela acompanham essa nomenclatura. Mas o 720p está deixando de ser o HD padrão para muitos segmentos, e esse pode ser um movimento de mudança que não terá retorno.

 

 

 

Via Wccftech


Compartilhe