A Apple está toda engraçadinha. Ou ao menos quer provar um ponto. Ainda não sei, mas como estou de olho nessa moça, eu só observo a tentativa dela em transformar o iPad Pro 2018 no “autêntico substituto dos computadores tradicionais”.

Sim. O iPad Pro 2018 é o melhor iPad de todos os tempos (vamos deixar de lado por cinco minutos o fato que esse tablet dobra mais fácil do que folhas de papel sulfite avulsas), e muita gente se pergunta se este tablet pode mesmo ser uma alternativa viável para substituir um computador convencional.

A Apple diz que sim. E até lançou um vídeo promocional para mostrar para todo mundo que realmente acredita nessa teoria.

Porém, não dá para chegar a um consenso ou concordar com isso em 100%. Da mesma forma que acontece com os Chromebooks, há muitas situações para as quais um iPad pode ser uma opção viável que dispensa a necessidade de um outro computador.

Por outro lado, há muitas outras situações onde um tablet fica muito aquém de um PC tradicional. E uma coisa que vem frustrando a muitos fãs da Apple é o fato de tudo isso acontecer não por incapacidade de hardware do tablet, mas sim pelas limitações do iOS que a Apple ainda não retificou ou retirou.

Quando olhamos para o passado, constatamos que a evolução do iOS para o iPhone foi muito maior que a do iOS do iPad, algo que pode ser sanado se os rumores sobre o iOS 13 se confirmarem, uma vez que a nova versão deve trazer funcionalidades mais alinhadas ao que se espera na usabilidade de um iPad, o que efetivamente o tornaria uma alternativa ao ‘computador’.

E… mesmoa ssim…

Estamos acostumados a ver as novidades mais solicitadas nos produtos da Apple desembarcando nos dispositivos ‘no ano seguinte’, mesmo com o hardware podendo atingir tal potencial. Ou seja, você compra o iPad Pro 2018 consciente de que só vai ter o que precisa em 2019.

Agora, a pergunta que fica é: onde tudo isso deixa os MacBooks daqui a 3 ou 4 anos, já que pelo andar da carruagem, no futuro, veremos iPads se transformando em MacBooks com CPU ARM.