A prática continua a mesma. Só mudamos o fabricante.

No início de setembro, a Huawei foi acusada de influenciar os resultados dos benchmarks realizados nos seus smartphones. A 3DMark analisou as suspeitas, e começou a retirar os smartphones da marca de sua base de dados.

Pois bem, a Huawei não está sozinha, e historicamente a prática de manipulação de benchmarks se fez presente de tempos em tempos no mundo da telefonia móvel. E isso fez com que o TargetHD.net desconsiderasse esse aspecto das suas análises.

Agora, através de alguns testes que compararam os resultados obtidos através das versões privadas e públicas do seu aplicativo, a mesma 3DMark descobriu que o Oppo Find X, novo smartphone top de linha da Oppo (que tem previsão de chegada ao mercado para breve), alterou os resultados de verificação em até 41%.

Para deixar a situação ainda mais complicada para o lado da Oppo, este não foi o único dispositivo que apresentou sintomas de trapaças nos testes. Um comportamento semelhante foi verificado no Oppo F7, lançado no início de 2018.

A Oppo tentou se explicar.

A marca admitiu que o chipset acaba explorando o seu potencial à máxima potência quando detecta aplicativos como jogos ou apps de benchmarks 3D “para uma melhor experiência”. Agora… melhor experiência de benchmark? Sei não…

Já nos aplicativos desconhecidos, o smartphone utiliza o modo de otimização de energia padrão, o que explica as pontuações significativamente mais baixas.

Curiosamente, a Oppo afirma que, se um dispositivo não é utilizado “por 5 a 10 segundos”, ele limita o desempenho automaticamente “para menos de 70% a 80% do desempenho máximo”. Porém, assim que você interage com o smartphone, ele volta a operar em 100%.

Em teoria, isso favorece ao usuário, pois otimiza o desempenho para que o smartphone trabalhe melhor quando o usuário realmente precisa daquele aplicativo, e isso pode resultar em um melhor desempenho e uma maior autonomia de bateria. Por outro lado, isso continua a ser contra as regras do 3DMark.

Ou seja, a Oppo está burlando os resultados.

Resultado: os dispositivos da Oppo vão continuar a não aparecer nas bases de dados do Geekbench, pelo menos até que a Oppo corrija esse cenário.