A Opera tenta modernizar e dar um ar mais futurista ao seu navegador web com o novo Reborn 3, nome de código do Opera 60, apresentando um navegador que estaria preparado para a “web do futuro”, ou Web 3.

A nova web seria baseada em blockchain e em operações baseadas em criptomoedas, uma realidade global. Porém, além desse suporte, ele inclui uma carteira ou wallet para armazenar criptomoedas. Para o grande público, o melhor do Reborn 3 é contar com uma VPN gratuita mais rápida.

 

 

Opera 60: nova interface e modo escuro melhorado

 

 

As melhorias visuais são muito bem vindas. Apesar de oferecer o modo escuro há muito tempo, o Opera 60 traz o recurso melhorado, com um negro mais intenso e contrastes menores entre cores que oferecem uma sensação mais agradável.

O navegador é, de um modo geral, mais minimalista, e consegue se diferenciar do mar de navegadores Chromium disponíveis. A empresa se vale de “não contar com linhas divisórias entre seções de navegação, eliminando distrações e obstáculos e até ao conteúdo web no centro do cenário”.

Sobre o VPN, o Opera 60 “é o mais rápido”, mas não há números que credenciem isso por enquanto. Vale levar que ele está integrado no navegador para desktops desde 2016, e agora chegou ao Android, garantindo uma certa segurança e a mudança da região de uso, mas apenas por continente, e não por país.

 

 

O Opera quer reinar na Web 3

 

 

O Opera 60 recebe uma carteira criptográfica, que é sincronizada com aquela que o usuário pode estar utilizando no navegador do Android. Com essa carteira, o usuário poderá identificar-se em um site Web 3, sem ampliar em demasia a informação que é considerada na Web 3 além do que o permitido para realizar as transações com criptomoedas.

O Opera vai permitir o uso de aplicações Web 3 de aplicativos descentralizados que permitem uma comunicação sem intermediários de forma muito segura (na teoria). Resta saber se na prática será assim, e o quão futurista esse navegador realmente é.

 

Download | Opera 60 Reborn 3