Em meados de janeiro de 2019, aconteceu um daqueles momentos que ficam marcados para sempre na história das redes sociais e da internet em geral. A foto de um ovo, um simples ovo, sem nada de especial, se tornou a publicação com mais likes no Instagram, superando uma foto de Kylie Jenner (quando ela mostrou ao mundo sua filha recém nascida, Stromi).

O recorde de Jenner era de 18,2 milhões de likes, mas o ovo levou apenas 9 dias para superar essa marca, e por enquanto tem mais de 52 milhões de curtidas, algo que será muito difícil de bater no futuro. A conta anônima World Record Egg foi a responsável pela publicação, e embora o nome fosse bem claro, os interesses e autores por trás da foto eram desconhecidos.

Agora, o New York Times revela vários detalhes interessantes dessa história, depois de conversar com as pessoas por trás da conta. Eles são Chris Godfrey, publicitário da agência londrina The & Partnership, e dois colegas que o ajudam a divulgar a conta, Alissa Khan-Whelan e C.J. Brown.

 

 

A escolha do ovo que cresceu organicamente

Godfrey diz que o crescimento da visibilidade do ovo não teve nada a ver com pagamento a grandes contas ou influenciadores, e acredita que foram os adolescentes que ajudaram a tornar o fenômeno massivo. As horas de maior interação com os jovens coincidiram com os horários de saída dos estudantes das escolas nos EUA (entre 15h e 16h). Khan-Whelan lembra de ter visto vídeos de crianças na aula perguntando aos professores eles curtiram o ovo no Instagram.

O objetivo sempre foi bater o recorde de Jenner. Para conseguir isso, Godfrey afirma que escolheu o ovo porque ele não tem gênero, raça ou religião. Um ovo é um ovo. É algo universal universal.

O Instagram Stories era o canal onde os usuários comentavam sobre o ovo, e isso ajudava a aumentar a visibilidade da conta. Enquanto o feed do Instagram do ovo permanecia inerte durante o aumento das interações, as histórias na conta eram preenchidas com postagens de outras contas que usavam a hashtag #EggGang.

 

 

Um recorde que valeu uma campanha no Hulu durante o SuperBowl

 

 

O momento publicitário mais importante do ano nos Estados Unidos é o Super Bowl. Embora não seja relacionada ao ovo sem marca na sua origem, os responsáveis ​​pelo projeto reconhecem que eles foram contactados por muitas marcas.

Finalmente, depois de ser o centro de muitas conversas, foi o Hulu quem pagou aos criadores do viral para que o ovo fosse o protagonista de um comercial no Super Bowl. E foi em um comercial (que será o primeiro de vários que estão por vir) sobre saúde mental, alinhado com a organização sem fins lucrativos “Mental Health America”, dedicada a lidar com as necessidades das pessoas com problemas de saúde mental.

Como visto no anúncio, a mensagem é simples e direta: “a pressão das redes sociais está me incomodando, se você tiver problemas, fale com alguém”, mostrando as consequências que o ovo sofreu por se tornar um viral.

 

Via The New York Times