Compartilhe

A grande maioria de nós, internautas (especialmente os das antigas, e eu me incluo nesse grupo) iniciou as nossas experiências na internet através do velho Internet Explorer. E para a maioria de nós, ele era a porta de entrada para a rede mundial de computadores.

Hoje, olhando para trás, devemos encarar esse comportamento com algo absolutamente normal, pois naquele tempo era difícil enxergar um mundo além do IE, uma vez que a Microsoft “facilitava demais” o uso desse software (ou melhor, obrigava todo mundo a usar o programa, que vinha pré-instalado no Windows).

Porém, o tempo passou, e outros navegadores web começaram a virar tendência junto aos usuários, como o Firefox e, principalmente, o Google Chrome. Aqui, muita gente percebeu que (literalmente) perdeu muito tempo na vida com o Internet Explorer e a sua demora para abrir as páginas da web.

Com o passar do tempo, o Internet Explorer passou de líder global entre os navegadores de internet para um meme. Basicamente todo mundo (menos é claro os seus pais ou avós) utilizavam o software da Microsoft apenas para fazer o download de outro navegador. E abrir o IE por acidente era um pesadelo de muita gente.

OK. A Microsoft quer deixar esse passado bagaceira para trás, e para isso renovou a imagem e o motor do Egde, para que o mesmo não conte com qualquer tipo de relação com o seu lento irmão mais velho.

 

 

Microsoft Edge, o mais distante possível do Internet Explorer

 

 

Como você bem sabe, o Microsoft Edge é impulsionado pelo motor do Chromium (o mesmo motor do Google Chrome), e essa escolha resulta em uma mudança radical no software, como é o caso da sua identidade visual. A era Internet Explorer ficou para trás, e a Microsoft deseja que você sequer lembre de sua existência no mundo. Que dirá falar dele.

A revelação do novo logo do Microsoft Edge não é apenas para mostrar uma marca inspirada em uma onda. É uma tentativa de apagar aquilo que não deu certo no passado. Se bem que, olhando com atenção para o logo, ele lembra o “e” do Explorer. Tá, você precisa se concentrar muito para ver esse “e”. Mas ele está lá. De forma oculta.

A versão beta do Edge com Chromium está disponível para testes desde agosto de 2019, e a versão final estará disponível para os meros mortais em 15 de janeiro de 2020. Só então veremos se realmente a Microsoft consegue entregar um navegador que faça com que todos se esqueçam que o Internet Explorer existiu um dia e, quem sabe, nos convence a migrar para o novo Edge.

Ainda é difícil responder a esta pergunta nesse momento. Mas a resposta está a caminho.


Compartilhe