Compartilhe

É a Cortana morrendo aos poucos, e a Microsoft admitindo que não tem um rival a altura para a Siri, a Google Assistant e Amazon Alexa. O próximo sintoma de morte do assistente virtual de Redmond é a remoção do mesmo da barra de tarefas do Windows 10.

A Microsoft quer transformar o Cortana em um assistente para produtividade, integrando o software aos aplicativos do Microsoft 365. E a desculpa para a recente remoção é a mesma para o fim do assistente no iOS e Android: brindar com uma experiência melhorada e mais fluída no fluxo de trabalho.

Na prática, o Cortana para Windows 10 agora pode trabalhar em uma janela, como se fosse um aplicativo qualquer do Windows. Isso vai além de uma simples mudança de posicionamento no desktop, já que o software melhorou suas capacidades em áreas como e-mails, calendário e interação com o sistema operacional, permitindo agora abrir apps e ajustar configurações como brilho, criar e realizar consultas de reuniões e e-mails.

 

 

Outra mudança no Cortana para Windows 10 e á remoção da opção em conectar contas, onde as contas pessoais e de trabalho passam a ter experiências distintas. Se você inicia sessão com uma conta Microsoft, vai interagir com informações pessoais. Se você iniciar sessão com uma conta profissional ou educacional, o Cortana vai trabalhar com esse tipo de dados.

A nova disposição do Cortana para Windows 10 só estará disponível para os usuários dos Estados Unidos ou que usam o idioma Inglês dos Estados Unidos (en-us), mas a Microsoft promete a disponibilidade do recurso para outras regiões e idiomas no futuro.


Compartilhe