O pessoal do iFixit publicou o seu processo de desmontagem do iPhone XS, revelando os segredos e peculiaridades do novo smartphone da Apple.

O novo iPhone estreia o conceito de bateria em L. No ano passado, o iPhone X conectou duas baterias retangulares e encaixadas no seu corpo. Mas agora, a Apple adotou capas de vários tamanhos para criar uma bateria com curvas que se adapta aos demais componentes internos.

A capacidade de bateria do iPhone XS é de 2.659 mAh, um pouco inferior às 2.716 mAh do iPhone X, onde a maior eficiência do processador faz a diferença.

 

 

Por outro lado, no iPhone XS Max, a Apple optou por um design de duas células mais simples, para oferecer a maior bateria já vista em um iPhone, com 3.179 mAh.

Uma das poucas diferenças externas detectadas com o iPhone X de 2017 está na assimetria das saídas dos alto-falantes e microfones na parte inferior do XS e XS Max. Ao eliminar dois orifícios da esquerda, a Apple deixou espaço para mais uma faixa de antena adicional, o que deve melhorar e muito a velocidade de dados 4G.

 

 

Nas câmeras, enquanto a grande angular traseira do iPhone XS e XS Max contam com a mesma resolução de 12 MP do iPhone X, o tamanho físico real do sensor aumentou 32%.

Ou seja, cada pixel individual do sensor deve ser maior, o que permite que o iPhone capte mais luz e melhore a qualidade das fotos registradas em ambientes pouco iluminados.

 

 

A desmontagem do iFixit também revela que substituir o vidro traseiro continua a ser um pesadelo. Ou seja, deixar cair um destes novos iPhones significa torcer para que a tela quebre do que apenas o vidro traseiro.

A Taptic Engine foi reforçada no iPhone XS Max, onde a Apple parece querer garantir que os usuários sintam as vibrações mesmo em uma tela de maior dimensões.

 

Via iFixit