Compartilhe

Os vetos de Trump obrigaram a Huawei a não utilizar as tecnologias e aplicativos do Google em seus smartphones. Diante dessa situação, os chineses colocam suas fichas no HarmonyOS como alternativa ao Android, além de vender notebooks com Linux pré-instalado na China (em outros mercados ela ainda pode trabalhar com o Windows 10).

Mesmo com as dificuldades apresentadas, a Huawei ainda entende que pode dominar o mercado mobile sem o Android nos seus smartphones. Ren Zhengfei, fundador da Huawei, comentou em entrevista da CNN que os vetos de Trump não são empecilhos para que a empresa alcance a primeira posição no mercado mobile global, mesmo que isso leve tempo.

O executivo parece estar convencido que a Huawei pode dominar o mercado mobile sem o Android. Isso é factível dentro da China, cujo governo impõe várias restrições às empresas estrangeiras. Mas nos demais países, a dependência do Android é (quase) total, com exceção de uma Apple que reteve um nicho de mercado no segmento top de linha com o iOS.

Por outro lado, Zhengfei afirma que a corporação que a empresa que ele fundou está nesse momento trabalhando “em um projeto com escala muito grande”, que pode ser o ecossistema que o HarmonyOS terá ao seu redor.

 

 

É realmente possível que a Huawei sobreviva sem o Android?

Se nem mesmo a toda poderosa Microsoft não conseguiu bater de frente com o duopólio Android/iOS mesmo com um Windows Phone que era um sistema operacional promissor e com bom funcionamento, que dirá a Huawei que, por mais competente que seja, ainda é um competidor que, mesmo relativamente forte, ainda precisa mostrar ao que veio.

Nesse momento, todos se conformaram com o duopólio dos sistemas operacionais móveis do Google e da Apple, e mudar esse cenário é algo complicado para qualquer concorrente que se atrever a tentar mudar isso.

Por outro lado, a Huawei tem nas mãos o que outras não tinham: boa parte do gigantesco mercado chinês. E em outros mercados internacionais, a marca e seus produtos estão ganhando relevância e visibilidade de forma exponencial.

Hoje, tudo isso pode parecer um grande absurdo. Mas a Huawei já é a segunda maior vendedora global no mercado mobile. Ninguém dizia que isso iria acontecer em 2012. E assim como não dá para prever o futuro, não podemos duvidar de um cenário de presente que é consolidado.

Por enquanto, o que podemos dizer para a Huawei?

Boa sorte! Mesmo! Queremos um segundo protagonista nessa história.

 

Via Android Authority


Compartilhe