Grin mata Yellow, e alugar patinete amarelo agora é com a Rappi | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Grin mata Yellow, e alugar patinete amarelo agora é com a Rappi | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notícias | Grin mata Yellow, e alugar patinete amarelo agora é com a Rappi

Grin mata Yellow, e alugar patinete amarelo agora é com a Rappi

Compartilhe

A Yellow, que se tornou Grin, agora é Rappi. O aplicativo para aluguel de patinetes e bicicletas foi descontinuado.

Agora, para usar os patinetes da Yellow podem ser alugados pelo app da Rappi, e as bicicletas da Yellow são alugadas pelo app da Grin. O que não faz muito sentido (na minha opinião), já que o principal serviço da Grin é justamente o aluguel de patinetes elétricos.

Porém, mesmo sendo algo confuso de entender, a boa notícia é que esta é uma mudança temporária. No futuro, todos os serviços de aluguel de patinetes e bicicletas serão feitos pelo aplicativo da Grin.

Yellow e Grin se fundiram nos últimos meses, compartilhando a estrutura do aplicativo, os créditos na carteira digital e o histórico de corridas. Porém, a fusão é parcial, e os patinetes acabaram ficando com o controle da Rappi, que vai adotar inclusive a identidade visual do serviço que originalmente foi concebido para entrega de produtos.

Porém, a Grow Mobility reforça em comunicado que a exclusividade (ou melhor, essa confusa disposição de serviços) será temporária. Em breve (sem revelar quando), os usuários da Grin poderão utilizar os patinetes da Yellow pelo aplicativo.

 

 

 

Um mercado em clara expansão

O objetivo dessa operação é reforçar a marca da Grin no Brasil, em mais um movimento de expansão do mercado de patinetes elétricos em nosso país. Essa opção de modalidade deixou de ser uma alternativa meramente casual para algumas cidades para ser uma opção genuína de deslocamento em diferentes centros urbanos.

Não só isso. O patinete elétrico está expandindo a sua presença para setores do comércio que até então não se imaginava a sua viabilidade, como no caso de entrega de produtos em formato delivery.

Se bem que eu mesmo já vi em São Paulo alguns funcionários de serviços de delivery entregando pratos de fast food ou produtos eletrônicos com o monociclo elétrico. Diante disso, tudo leva a crer que o céu é o limite.

 

Via Tecnoblog


Compartilhe