Compartilhe

Segundo a CNN, o Google aponta para as mulheres com o seu novo serviço de jogos por streaming, o Google Stadia. E tal afirmação existe por causa do design dos seus controles, tanto na cor como pelas dimensões, entregando um foco mais neutro quanto ao gênero.

“O controle do Xbox vem em cores como azul elétrico ou vermelho caminhão de bombeiros. Os controles da Sony estão disponíveis em negro, assim como em vários tons neon e camuflagem. E o controle preto da NVIDIA se parece muito com a máscara do Darth Vader. O Google stá vendendo controles nas cores em branco, preto ou verde wasabi”, afirma a Nintendo para sustentar a sua teoria, dando a entender que seus concorrentes diretos nos consoles tradicionais utilizam cores para os controles de gosto masculino.

 

 

Em entrevista, os porta-vozes do Google comentam que consideraram centenas de cores e entrevistaram milhares de jogadores antes de chegarem ao verde wasabi, que teria um “atrativo universal”, onde homens e mulheres gostam dessa tonalidade, ao mesmo tempo que é uma cor muito expressiva. Por outro lado, esse modelo de controles é o que menos tem imagens promocionais.

Porém, é exagero afirmar que o Google inovou nesse aspecto, nem mesmo afirmando que buscou cores diferentes. O Nintendo Switch já contava com cores vivas e todos os controles clássicos desde o Wii já tiveram uma versão em branco. Sem falar nos controles de múltiplas cores que Sony e Microsoft ofereceram para o PlayStation e o Xbox.

 

 

Já faziam isso há muito tempo, Google!

 

 

Desde os tempos remotos do Dreamcast da Sega encontramos os primeiros controles claros e coloridos. Mas esse exemplo não conta muito, por causa do seu grande tamanho, o que seria um outro traço sexista, de acordo com o Google.

O controle do Google Stadia é um pouco mais fácil de agarrar para mãos pequenas do que produtos similares apresentados por seus rivais, e o Google afirma que isso foi intencional.

O Google quis priorizar um grande grupo de jogadores que nem sempre são apreciados. Assim, eles conseguiram criar um controle onde as mulheres podem se sentir confortáveis na hora de jogar, mas sem prejudicar o desempenho dos homens nas partidas.

As afirmações do Google não são necessariamente falsas, mas nesse momento, oferecer um controle confortável para o maior número de pessoas possível é algo lógico para qualquer empresa, e soa mais como um catalizador de momento do que algo a sério.

Sem falar que o Google Stadia precisa melhorar (e muito) para convencer os mais céticos como uma alternativa real ao mundo dos games.

 

Via CNN, Hardcore Games


Compartilhe