Wetten.com Brasil Apostas
Home » Internet » Google Fotos, e o fim do armazenamento ilimitado

Google Fotos, e o fim do armazenamento ilimitado

Compartilhe

Acabou a festa. Literalmente.

Com o fim do upload ilimitado de fotos e vídeos no Google Fotos, também se encerra um tempo onde o usuário tinha uma preocupação a menos na vida, já que sabia que as imagens registradas pelo seu smartphone estavam em um lugar seguro e com um espaço de armazenamento infinito.

Mas como nada nessa vida é eterno, e o próprio Google se reconhece como uma empresa beta para tudo…

Agora, sabemos que temos um limite para armazenar nossas fotos e vídeos enviados para o Google Fotos, que é o mesmo do Google Drive. Infelizmente, vamos ter que começar a procurar outras alternativas para obter mais espaço para as imagens que fazem parte da nossa vida.

 

 

 

O único motivo para isso acontecer? Dinheiro, é claro!

 

 

De certo modo, todos nós fomos iludidos com o pensamento que o Google jamais mudaria a sua proposta, oferecendo “para sempre” o upload ilimitado e gratuito das fotos em alta qualidade. Uma hora essa mamata iria acabar. E agora temos uma data para acabar: 1 de junho de 2021.

E por que o Google vai fazer isso?

Muito simples, amigo leitor: “estimular” os usuários que querem armazenar mais conteúdos de fotos e vídeos na nuvem da empresa a pagarem por isso. Enquanto o serviço entregava armazenamento ilimitado, todo mundo estava tranquilo. Mas agora que isso vai custar o espaço de armazenamento das contas (onde a maioria conta com apenas 15 GB de espaço livre), algumas pessoas terão que repensar se não chegou a hora de colocar a mão no bolso para armazenar mais fotos.

De novo: o Google está no seu papel em obter lucros onde pode, ainda mais após um ano tão caótico como foi 2020. É uma empresa de serviços e, por conta disso, se vê no direito de cobrar por qualquer serviço que oferece. Faz parte da estratégia da empresa.

Mesmo assim… não podemos deixar de dizer que esta decisão vai machucar a alma e o bolso de muita gente.

 

 

 

O que vai acontecer depois de 1 de junho de 2021?

 

 

A partir desse dia, as imagens e vídeos que serão enviados para o Google Drive passam a ocupar espaço de armazenamento disponível na cota do plano contratado (ou não) pelo cliente. As imagens enviadas antes disso não entram nessa conta, e permanecem armazenadas na nuvem sem custos adicionais ou consumo de armazenamento no Drive.

Porém, depois disso, é melhor ter cuidado com o volume das imagens que serão enviadas para o Google Drive, pois cada imagem e vídeo entram na conta do espaço em disco disponível, o que pode fazer com que rapidamente o seu pouco espaço na nuvem acabe com relativa rapidez, principalmente se você já está mais do que acostumado a registrar muitas fotos e vídeos o tempo todo, ou trabalha com isso profissionalmente.

 

 

Se serve de consolo, o Google oferece uma ferramenta gratuita para que o usuário possa calcular quanto tempo falta para consumir todo o espaço de armazenamento livre em sua conta e, dessa forma, tomar as providências para melhor gerenciar esse espaço livre na nuvem, realizando o backup das fotos para uma mídia externa ou outra plataforma de armazenamento na nuvem.

 

 

 

O que aprendemos aqui?

 

Que o Google quer o nosso dinheiro, e de forma lícita. De novo: era uma grande ilusão acreditar que essa autêntica farra do boi de armazenamento ilimitado de fotos e vídeos no Google Drive iria durar para sempre. E aqui, você tem duas alternativas: ou paga para ter um plano mais generoso no armazenamento em na nuvem, ou procura outra alternativa para armazenar as suas fotos.

Meu conselho? Se armazenar todas as fotos da sua vida é algo muito importante para você, invista o seu dinheiro no plano de 2 TB do Google Drive, ou quem sabe contrate um plano do Google One, e seja feliz.

 

 

Via Google


Compartilhe