Google elimina apps que falam do coronavírus COVID-19 da Play Store | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Google elimina apps que falam do coronavírus COVID-19 da Play Store | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notícias | Google elimina apps que falam do coronavírus COVID-19 da Play Store

Google elimina apps que falam do coronavírus COVID-19 da Play Store

Compartilhe

O Gooogle tomou uma decisão drástica, e decidiu eliminar da Google Play Store todo e qualquer aplicativo relacionado com o coronavírus COVID-19. Se você realizar uma busca na loja de apps para Android nesse momento, não vai encontrar itens relacionados com a doença de nenhuma espécie.

Boa parte dos aplicativos que estavam na loja contavam com poucas informações verossímeis, e estavam lotados de publicidade. Logo, era de se presumir que os apps só estavam se aproveitando para capitalizar em cima do medo e pânico coletivo.

Como este é um tema delicado, a decisão do Google chega a ser sensata, pois fica muito difícil estabelecer uma regra de bom senso para os apps. Em um momento em que a desinformação é mais perigosa que o próprio COVID-19 em si, reduzir as chances do coletivo em obter informações erradas passa a ser uma prioridade.

 

 

 

O alarmismo fica de fora da Google Play Store

 

 

Nem eram tantos aplicativos assim (em torno de 30 apps no começo de fevereiro), porém, esse número só aumentada conforme o tema recebia maior atenção através do alerta sanitário cada vez mais alto. O filtro escasso da Google Play Store, somado à simplicidade em integrar mapas web de contágios dentro de um aplicativo resultam em um crescimento em ritmo viral desse tipo de aplicativo.

De todos os aplicativos que falaram sobre o coronavírus que receberam destaque na mídia, todos hoje se encontram fora da Play Store, o que demonstra que o Google removeu os apps manualmente. Quem fez o download do aplicativo não poderá atualizá-lo. O mais bizarro é que os jogos relacionados com infecções continuam na loja, ou pelo menos permanecem aqueles que não contam com relação direta com o coronavírus, como é o caso do polêmico Plague Inc, que está batendo recordes por onde passa.

 

 

 

Combater a desinformação é a melhor forma de ajudar

 

Lembrando mais uma vez, pois a audiência desse blog é rotativa: se você realmente quer se manter bem informado sobre o coronavírus e como está a sua expansão ao redor do mundo, nossa recomendação é que você acesse no seu navegador web de sua preferência (no smartphone, tablet ou computador) os mapas em tempo real do Google e o site do Ministério da Saúde. Essas duas fontes são excelentes para obter informações precisas sobre o COVID-19.

E, principalmente: não compartilhe notícias falsas. As fake news nesse momento só vão causar o pânico e a histeria coletiva. A tia do Zap Zap não pode saber mais sobre o COVID-19 do que jornalistas que estão trabalhando nesse tema de forma intensa nas últimas semanas, ou os epidemiologistas que estão na TV dando entrevistas diárias.

Evite compartilhar vídeos de “bioquímicos autodidatas” ou de notas “oficiais” da secretaria de saúde de sua cidade ou estado com números inflados e alarmistas. E, de uma vez por todas: no momento em que esse texto foi produzido, O CORONAVÍRUS COVID-19 NÃO TEM VACINA OU CURA! Não adianta acreditar em soluções milagrosas ou receitas que a vovó (ou a tia do Zap Zap) compartilha de forma irresponsável ou inconsequente.

Já que não podemos combater a doença nesse momento (apenas evitá-la, com as devidas precauções), vamos ao menos combater a infodemia, um mal que as pessoas estão disseminando de forma quase irracional.

 

 

Via Androidsis


Compartilhe