O anúncio oficial de Fallout 76 deixou muita gente surpresa (positivamente). É a volta de uma das franquias mais queridas do mundo dos videogames.

Porém, o anúncio da Bethesda não foi muito rico em detalhes, de modo que só sabemos a ambientação, a época onde o jogo se passa (2096) e o seu motor gráfico (Fallout 4).

É normal que se pense que o jogo vai seguir as bases vistas em Fallout 4, oferecendo um modo história completo e uma experiência limitada ao modo de um jogador. Mas será exatamente o contrário.

Fallout 76 está centrado no modo multiplayer, com uma forte inspiração em jogos como DayZ. Ou seja, teremos que lutar para sobreviver, e não apenas fazer frente aos mutantes, à radiação e as criaturas selvagens, mas também aos próprios jogadores, que podem decidir nos matar e roubar todo o nosso equipamento.

Em teoria, o novo jogo representa o que poderia ter sido o multiplayer de Fallout 4, com a possibilidade de fortalecimento da comunidade dos gamers. Na teoria, o sistema de comunidades será mantido, e será possível lançar ataques contra as bases de outros jogadores, com o objetivo de saquear todos os seus recursos.

Um plano interessante, que permitiria à Bethesda ampliar horizontes com uma de suas franquias mais queridas. Mesmo assim, carece de um modo história para os jogadores que preferem uma abordagem menos agressiva.