Compartilhe

Depois do Instagram iniciar os testes sobre a remoção da exibição do número de likes nas publicações das redes sociais de fotos, o Facebook pode ser o próximo a não mais exibir essa estatística. E o motivo pode ser o mesmo: reduzir o estresse dos usuários.

 

 

Facebook confirma que começou a ocultar o número de likes

A mudança foi confirmada pelo próprio Facebook depois de descoberta pela engenheira Jane Manchum Wong. No lugar de mostrar o número de likes, simplesmente vai apresentar informações sobre as pessoas que reagiram diante de uma publicação, mas sem aparecer o número de vezes que isso foi feito. Em teoria, isso alivia a pressão daqueles que entendem que precisam receber muitos likes para se sentirem bem na vida.

 

 

A engenheira detectou no aplicativo do Facebook para Android a mudança, e alguns usuários já perceberam que o número de likes não é mais exibido na plataforma. O numero de comentários ainda aparece, e o número de compartilhamentos também.

O Facebook não comentou os testes, nem em quais países esses testes estão acontecendo. No Instagram, os testes de remoção dos likes continuam em países selecionados (Brasil, inclusive), mas não sabemos quais são os resultados dos mesmos ou quando ele vai se expandir para outros países.

 

 

 

Menos estresse para os usuários, mas a mesma falta de transparência

As mudanças propostas para o Instagram e Facebook contam com o principal objetivo de reduzir o estresse resultante da necessidade de publicar algo relevante na internet. Estresse esse que é real, tal e como mostram diversos estudos sobre o assunto.

Por outro lado, o movimento também oculta uma informação essencial no uso do Facebook, que continua a crescer, mas com uma popularidade cada vez menor entre os mais jovens.

Ocultar o número de likes é uma estratégia para seguir mantendo a aparência de lugar pacífico e saudável, apesar das publicações poderem receber uma quantidade cada vez menor de curtidas. Infelizmente, este dado não é fácil de ser encontrado ou compartilhado pelo Facebook de forma periódica.

 

Via TechCrunch


Compartilhe