Compartilhe

O Facebook apresentou os seus últimos resultados financeiros, que confirmaram que os diversos escândalos de privacidade não afetaram as suas receitas ou o número de seus usuários. Porém, apesar das receitas elevadas, os lucros caíram 51% no primeiro trimestre de 2019 com a reserva de US$ 3 bilhões para o pagamento de uma multa na Comissão Federal de Comércio (FTC) por causa do caso Cambridge Analytica.

O valor é descrito pelo Facebook para uma “investigação da FTC sobre nossa plataforma e as práticas de dados dos usuários”, ou seja, uma multa pelos diferentes casos de violação de publicidade.

 

 

Facebook se prepara para multa histórica

 

O valor pode ser ainda maior, podendo alcançar os US$ 5 bilhões. Valores que a FTC estaria considerando, já que as duas entidades estão em negociação nesse momento.

Apenas como comparativo, o caso Cambridge Analytica custou para o Facebook “apenas” 560 mil euros no Reino Unido, 1.2 milhão de euros na Espanha, 10 milhões de euros na Itália ou 110 milhões de euros pela compra do WhatsApp. valor de cafezinho em comparação com a multa pela investigação criminal mantida pela FTC por violar os termos de 2011 para proteger a privacidade dos seus usuários.

Mark Zuckerberg, que já teve que depor para o Congresso dos Estados Unidos, decidiu que o Facebook tinha que aproveitar o seu bom momento financeiro para reservar fundos para começar a pagar a previsível multa que deve ser anunciada antes do final de 2019.

Com esse movimento, o Facebook parece tentar controlar a opinião pública e fixar posições antes que a multa apareça. Depois do anúncio dos resultados, as ações da rede social subiram 7%, mostrando que os investidores conseguem ver com bons olhos o movimento.

A multa é significativa, pois compromete entre 7% e 11% das reservas de efetivos do Facebook. Seria a maior multa da história da FTC contra uma empresa de tecnologia. Uma multa no mesmo patamar daquela imposta pela União Europeia nos últimos anos.

 

Via Facebook


Compartilhe