Compartilhe

Você sabe o que é o phishing?

O phishing é o golpe digital mais comum da internet, e continua sendo pauta do dia (ou pelo menos deveria ser para boa parte dos internautas). Com certeza você já recebeu um e-mail tentando enganar você para roubar dados e informações pessoais ou financeiras.

Hackers se valem de diferentes técnicas de engenharia social para enganar suas vítimas, induzindo na realização de uma determinada ação que, muito provavelmente, vai resultar em um delito informático.

Para tentar prevenir os usuários sobre como o phishing funciona e visando reduzir esse tipo de crime digital, o Google publicou um teste que pode ajudar os usuários (especialmente os menos experientes) a reconhecerem e-mails maliciosos que procuram enganá-los com o objetivo de roubar esses dados.

O teste permite que os usuários avaliem a sua capacidade de reconhecer e-mail maliciosos, e foi lançado pela Jigsaw, uma incubadora tecnológica do Google e subsidiária da Alphabet Inc.. Tal avaliação mostra vários exemplos de técnicas comuns de phishing, seja através de URLs de domínios que tentam se passar por sites reais ou por outras vias de trapacear as vítimas.

O teste foi criado com base em testes realizados com 10.000 jornalistas, ativistas e líderes políticos de todo o mundo, e o objetivo é contribuir para que os usuários possam aprender a reconhecer estes e-mails fraudulentos.

Para fazer o teste do Google, clique aqui.

 

 

Um perigo também nas redes sociais

O phishing nas redes sociais é um problema ainda maior, e tem o mesmo objetivo. O hacker pode criar uma cópia de um site ou de uma rede social para atrair vítimas inocentes, que fornecem os seus dados pessoais e financeiros.

O Facebook é a rede social mais fácil de ser reproduzida para fins fraudulentos, com páginas falsificadas para roubo de dados. A rede social de Mark Zuckerberg era um dos três alvos de phishing em 2017, ao lado da Microsoft e do PayPal. Mas no primeiro trimestre de 2019, se tornou a líder dessa prática nas redes sociais, seguida pela rede social russa VK e pelo LinkedIn.


Compartilhe