Compartilhe

O Disney+ só deve chegar ao Brasil no segundo semestre de 2020, mas a plataforma anunciou uma série de novidades e informações sobre o seu curto tempo de vida (nasceu em novembro de 2019). Mesmo com a concorrência e sem estar disponível em muitos países, esta plataforma de streaming já conta com 28.6 milhões de assinantes.

A Disney estimava alcançar a marca de 26.5 milhões de assinantes no final de 2020, mas superou essa previsão com apenas três meses. Comparando com a concorrência, a Netflix conta hoje com 61 milhões de assinantes nos Estados Unidos (e 167 milhões em todo o planeta). A Apple não revelou o número de assinantes do Apple TV+, mas alguns analistas afirmam que já são 33.6 milhões apenas nos Estados Unidos.

 

 

Melhor do que a própria Disney esperava

São números muito chamativos para uma plataforma com apenas três meses de vida, superando as maiores expectativas da própria Disney. 20% dos 26.5 milhões de assinantes desse serviço de streaming se inscreveram no teste gratuito oferecido pela Verizon.

A Disney também revelou que o Disney+ vai chegar na Índia, via HotStar, e que o Hulu vai ser lançado em formato internacional em 2021. Tanto o Hulu quanto o ESPN+ estão disponíveis em um pacote com o Disney+, que custa US$ 13 por mês nos Estados Unidos.

Ou seja, o streaming é uma das principais prioridades da Disney, que está nesse momento fechando os últimos acordos e licenças para o lançamento global do Hulu. E tudo isso, com a empresa arrecadando 23% menos em relação ao ano passado (US$ 2.133 bilhões), algo que pode ser explicado justamente pelos esforços para o lançamento do Disney+.

A empresa prevê que, para o final do seu ano fiscal em 2024, deve ter entre 60 e 90 milhões de assinantes, mas olhando para as previsões estabelecidas para o final de 2020, podemos dizer que a Disney está muito comedida na previsão a longo prazo. Não é exagero afirmar que esses números serão alcançados bem antes desse prazo.

 

 

As datas de estreias de algumas séries muito esperadas

A Disney aproveitou a oportunidade para revelar os meses de estreias das primeiras séries da Marvel Studios no Disney+, mas sem revelar datas exatas.

The Falcon and the Winter Soldier será a primeira a estrear, e chega ao mundo em agosto de 2020. As datas exatas devem aparecer nos próximos meses. Já WandaVision só estreia em dezembro de 2020. Loki não teve a sua janela de estreia revelada, mas tudo indica que deve acontecer em 2021.

E também está confirmada a estreia da segunda temporada de The Mandalorian (série do universo Star Wars) para outubro de 2020.

As poucas imagens que temos das séries da Marvel Studios são aquelas exibidas no comercial do Super Bowl 2020 e, ainda assim, condensadas em apenas 30 segundos.

The Falcon and the Winter Soldier tem detalhes difusos sobre o argumento da série, mas deve mostrar como está o presente após a era Capitão América, a partir das perspectivas dos personagens interpretados por Anthony Mackie e Sebastian Stan.

Já no caso de WandaVision, série que vamos ter que esperar um pouco mais pela sua estreia, duas coisas estão bem claras: ela vai ter um tom de sitcom clássica no estilo dos anos 50 (e que perdurou na TV até o final da década de 90) e terá uma relação direta com Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. A série é protagonizada por Elizabeth Olsen e Paul Bettany.

 

 

Via Business Wire, Applesfera, The Verge


Compartilhe