Compartilhe

A Disney+, plataforma de streaming com basicamente todo o conteúdo produzido pelos estúdios Disney turbinado com algumas de suas aquisições dos últimos anos (Lucasfilm, Marvel, 20th Century Fox, etc) e alguns conteúdos de plataformas agregadas (Hulu, ESPN, etc) estreou hoje (12) nos Estados Unidos, Canadá e Holanda.

Logo, é mais do que natural que este seja o grande assunto do dia, com muitos internautas e usuários em potencial buscando informações sobre o serviço e até consumindo algum conteúdo para assim poder obter as primeiras impressões da plataforma que acaba de nascer.

Bom, quero dizer… pelo menos nas suas primeiras horas de vida, está um pouco difícil acompanhar os conteúdos do Disney+.

 

 

Muitos tentaram, poucos conseguiram

 

 

Não são poucos os usuários norte-americanos, canadenses e holandeses que estão reclamando nas redes sociais ao longo das últimas horas, afirmando que não conseguem acessar o conteúdo do Disney+, e quando conseguem, é só depois de muito custo, tempo perdido e várias tentativas.

A falha, que está mais do que comprovada por vários veículos especializados em tecnologia, estaria acontecendo por um dos motivos mais comuns e esperados para qualquer novo serviço e tecnologia que estreia na internet (especialmente quando consideramos o peso de uma marca poderosa, como é o caso da Disney): o enorme tráfego de usuários que estão experimentando o serviço de streaming.

 

 

Algo absolutamente normal, e que a Disney já deveria esperar, por motivos óbvios. Talvez ela não estivesse imaginando que o volume serão tamanho (algo de se estranhar, pois estamos falando da Disney). É sempre importante lembrar que o Disney+ está oferecendo meses grátis (não um mês, mas sim MESES) para usuários recém inscritos, o que naturalmente motivou a muitos usuários a pelo menos experimentar a plataforma.

Sem falar que o desejo de muitos usuários em assistir as novas séries (como é o caso de The Mandalorian) de forma imediata e rapidamente não ajudou em nada no processo de descongestionamento de tráfego.

Em resumo: ao que parece, a Disney não imaginou que o Disney+ poderia despertar tanto interesse dos usuários. De novo: é estranho uma empresa desse porte pensar assim, pois para qualquer um de nós, meros mortais, esse interesse absurdo estava mais que evidente.


Compartilhe