Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Games | Como um babaca motivou a Nintendo a acabar com o emulador Yuzu com 93 e-mails

Como um babaca motivou a Nintendo a acabar com o emulador Yuzu com 93 e-mails

Compartilhe

E tudo isso aconteceu porque um usuário ficou muito bravo… com a Yuzu! Gamers, podem reclamar com ele (seja lá quem for) se você não conseguir mais emular os seus jogos do passado no Nintendo Switch.

O recente acordo entre a Tropic Haze, equipe responsável pelo emulador Yuzu, e a Nintendo, pegou a comunidade de emulação de surpresa, com o pagamento de US$ 2,4 milhões por danos e prejuízos à gigante de videogames e fim do desenvolvimento do popular emulador para Nintendo Switch.

O que chama a atenção neste caso (e este é o motivo para que eu venha conversar com você neste artigo) é um dos fatores que motivaram a Nintendo a mobilizar os seus advogados contra a Yuzu: um usuário incondicional do Windows 7 que ficou insatisfeito.

 

Reclamar para a Nintendo “resolve”

Em uma carta aberta, o time Yuzu admite que o emulador “facilitava a pirataria a uma escala colossal”, reconhecendo a violação de propriedade intelectual da Nintendo.

Acredito que a Yuzu foi obrigada a fazer tal declaração como parte do acordo estabelecido com a Nintendo, já que algumas legislações são contrárias à essa visão. A emulação pode (por exemplo) ajudar a manter viva a história dos videogames, salvando alguns jogos do desaparecimento.

Afinal de contas, várias desenvolvedoras (incluindo a Nintendo) não se empenham o suficiente para garantir que esses jogos do passado estejam disponíveis para o grande grupo de jogadores. E esses títulos podem simplesmente desaparecer se eles não estiverem disponíveis de alguma forma.

Mas a história por trás do acordo entre as partes é mais complexa do que aparenta.

Uma investigação recente revelou que um usuário, descontente com a falta de otimização do Yuzu para Windows 7, decidiu delatar o projeto à Nintendo, mostrando que é um grandissíssimo desocupado e desprovido de noção, já que prejudicou uma comunidade inteira de gamers.

O usuário, sob o pseudônimo “phukyuzu”, enviou e-mails para 93 endereços da Nintendo, dedurando a Yuzu pela ausência do suporte ao sistema operacional que, convenhamos, só os mais saudosistas ou agarrados à tecnologias do passado ainda utilizam.

Em sua justificativa, “phukyuzu” alegou sabotagem por parte do time Yuzu e tratamento ruim aos usuários de Windows 7. Ele acusou a equipe de realizar “pequenas mudanças que sabiam que afetariam a compatibilidade sem deixar os antigos fallbacks em seu lugar”, além de “silenciar as discussões sobre o assunto”.

 

O quanto essa atitude foi determinante?

Não dá para saber o quanto a Nintendo se sentiu motivada a ir para cima da Yuzu como um animal selvagem depois dos e-mails denunciando a situação dos usuários do Windows 7 com o emulador, mas com certeza contribuiu para a decisão da empresa japonesa em buscar medidas legais.

Caso contrário, não constaria como elementos do processo movido pela Nintendo contra a Yuzu.

De qualquer forma, quem saiu perdendo nessa história foi a comunidade de emulação. O Yuzu era considerado um dos softwares mais avançados dentro de sua categoria entre os compatíveis com o Switch, permitindo que jogadores revivessem clássicos da Nintendo em seus computadores.

O caso da Yuzu cria um precedente para que as outras desenvolvedoras de softwares emuladores liguem o sinal de alerta, pois as medidas legais podem chegar a qualquer momento.

E é correto dizer que, a partir de agora, o futuro da emulação como um todo está ameaçado. A comunidade precisa se preparar para um cenário em que essa prática pode ser considerada ilegal, e os jogos do passado e do presente correm um risco ainda mais sério de extinção.

E tudo isso por causa de um babaca que está apegado ao passado.

Vai entender…


Compartilhe