Como desinstalar o Adobe Flash Player, agora que ele morreu de vez | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia
Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Dicas, Truques e Macetes | Como desinstalar o Adobe Flash Player, agora que ele morreu de vez

Como desinstalar o Adobe Flash Player, agora que ele morreu de vez

Compartilhe

O ano de 2021 começou, e tem tudo para ser muito melhor que 2020. E não estou falando isso só por causa da vacina. Outros problemas estão nos abandonando, mostrando que o mundo pode evoluir como um todo. E um desses problemas que deu adeus com o novo ano é o Adobe Flash Player.

Esse elemento foi por anos uma enorme dor de cabeça para usuários e desenvolvedores, e sua morte foi prevista por Steve Jobs lá atrás, e desejada por muita gente por muito tempo.

Porém, pelo menos nesse momento, o Adobe Flash Player não morre por completo. Ainda tem muita coisa na internet funcionando com ele, para nosso desespero.

 

 

 

O passado que condena

 

 

Todo mundo sabia a algum tempo que o Adobe Flash Player iria morrer em 2021, pois a própria Adobe anunciou isso em 2017. Ou seja, todo mundo teve tempo mais que suficiente para se adaptar a essa morte, de modo que retirar esse recurso do seu computador nesse momento não será um grande prejuízo na sua vida.

Uma das plataformas que melhor se adaptou à ausência do Flash Player foi o YouTube. Apesar da ferramenta da Adobe se fazer presente nos principais sites mais “modernos” da internet, todo mundo que tinha um computador um pouco mais limitado sabia que esta era uma ferramenta pesada, causando mais problemas do que soluções.

O grande problema aqui é que praticamente todo mundo utilizou o Adobe Flash Player um dia na vida online, de modo que essa plataforma é parte do nosso passado conectado. Na prática, algumas das ferramentas mais importantes da web ainda vão manter o recurso como um moribundo por mais algum tempo.

Talvez um dos últimos grandes expoentes do Flash Player na internet foi o FarmVille. Não só o jogo da Zynga como vários outros que fizeram sucesso na internet se valeram da plataforma da Adobe para o seu funcionamento. E esses jogos, animações e aplicativos vão manter a plataforma viva por algum tempo, mas em locais específicos da internet.

 

 

 

Onde encontrar jogos e animações em Flash?

 

Para aqueles que vão sentir falta dos jogos em Flash Player, existe algumas iniciativas que podem resgatar os jogos do passado. A seguir, apresento algumas dessas soluções:

Flashpoint: desde 2018, concentra mais de 70 mil jogos e 8 mil animações em diferentes plataformas, principalmente em Flash. Seu arquivo total tem 478 GB de dados comprimidos.

The Internet Archive: mantém um bom catálogo de jogos e animações em Flash, que são executados pela capa de emulação Ruffle, que pode ser instalada em seu computador.

Conifer: com ele, você pode usar uma versão antiga de um navegador web com suporte ao Flash que fica residente em um servidor remoto. A Adobe forneceu uma licença especial do Flash Player que permite a reprodução de jogos e animações nesses navegadores do passado.

 

 

 

Como desinstalar o Adobe Flash Player?

 

 

Você não precisa conviver com um software morto em seu computador, e desinstalar o Adobe Flash Player é algo bem simples.

No caso dos computadores com o sistema operacional Windows 10, basta manter ativa a configuração padrão do Windows Update, e deixar que o sistema operacional seja atualizado normalmente. Desde 27 de outubro de 2020, o software da Microsoft eliminou completamente todos os arquivos Flash residentes nele, de modo que você não precisa conviver com o moribundo na sua vida.

Porém, se você é um resistente que ainda usa o Windows 7 ou Windows XP nesse seu computador velho, é preciso remover o Adobe Flash Player manualmente, a partir do Painel de Controle do sistema operacional, acessando o item Instalar e Desinstalar Programas.

E a remoção do Flash Player é necessária, pois neste exato momento ele mais atrapalha do que ajuda.

Você foi avisado.

 

 

Via Microsoft, Fast Company


Compartilhe