DirecTV GO, um mês depois: ainda vale a pena?

Compartilhe

Um dos artigos mais lidos nos últimos 30 dias aqui no TargetHD.net é aquele onde falo sobre a DirecTV GO, a plataforma de TV por assinatura por streaming. Ela chegou ao Brasil, sem fazer muito alarde, mas com uma proposta muito interessante, oferecendo os principais canais da TV paga pela internet, com o competitivo preço de apenas R$ 60 mensais.

Depois de um mês, já dá para tirar conclusões mais completas sobre a plataforma, abordando os seus principais pontos positivos e negativos, o que mudou e o que ainda pode melhorar. E é isso o que vou fazer nesse post: mostrar como foi a minha experiência com a DirecTV GO nos últimos 30 dias.

Lembrando que a plataforma tem como seus responsáveis a mesma empresa que é dona da SKY no Brasil, e seu lançamento faz parte de uma estratégia de expansão plural, que aborda diferentes frentes para oferecer o serviço de TV por assinatura em diferentes formatos de consumo e comercialização.

 

 

 

O que mudou?

 

 

Pouca coisa.

A DirecTV GO se manteve quase inalterada desde o seu lançamento, tanto na oferta dos seus canais como no seu software e nas plataformas onde está disponível. Mas algumas mudanças discretas aconteceram.

Uma delas é a chegada do canal Futura, que faz parte do Grupo Globo. E, como pelo menos por enquanto, a DirecTV GO é a única plataforma que conta com os canais desse grupo em seu lineup de canais, a inclusão desse canal é algo facilmente explicável.

Outra novidade relevante foi o lançamento do aplicativo da plataforma para as Smart TVs da LG, o que tem como aspecto positivo utilizar os recursos de melhorias de imagem da TV (que faz upscalling nativo para o 4K). Por outro lado, o aplicativo ainda tem muito o que melhorar (falo sobre isso mais adiante).

Alguns usuários de Smart TVs da Samsung das gerações anteriores estão reclamando que suas TVs ainda não receberam a versão do aplicativo para os seus aparelhos, e pelo menos no momento em que esse post foi produzido, não há uma informação oficial sobre quando isso vai acontecer.

 

 

 

O que melhorou?

 

 

A DirectTV GO mostrou algumas poucas melhorias que podem apontar para mais avanços no futuro. A operadora promete isso em suas redes sociais, e essas mudanças podem ser notadas de forma bem discreta nesse primeiro mês de atividades.

Uma das melhorias mais perceptíveis está na qualidade de imagem dos canais HBO. No começo, as imagens estavam engasgando, e em um formato 4:3, o que fazia com que se perdesse pedaços da imagem final em exibição.

Agora, a imagem ainda não está perfeita, mas ao menos está em 16:9, com uma quantidade de engasgos muito menor durante a reprodução dos conteúdos, além de uma boa melhora na qualidade final da imagem dos canais.

A presença de um app da DirecTV GO nas Smart TVs da LG por si é uma melhoria que pode ser destacada. Tal e como observei um pouco antes nesse post, o aplicativo aproveita a tecnologia de upscalling de imagem para entregar um resultado final melhor do que aquele oferecido pela Mi Box S (por exemplo).

Melhorar a qualidade de imagem e incluir mais canais podem ser novidades que podemos esperar que a DirecTV GO vai dar como prioridade para os próximos meses. Porém, existem algumas coisas que precisam melhorar no serviço.

 

 

 

O que pode melhorar?

 

 

A qualidade de imagem nas plataformas com Android TV é algo que a DirecTV GO pode pelo menos tentar melhorar, já que o sistema operacional em si deve ter algum tipo de limitação que impede a entrega de uma qualidade de imagem melhor do que a ofertada nesse momento.

Pelo menos na Mi Box S que possuo, a qualidade final de imagem da DirecTV GO é inferior que aquela entregue pelo Chromecast (via smartphone) e pelo app da Smart TV da LG. Observei também que outros serviços de streaming como Premiere e Globoplay também contam com uma qualidade de imagem inferior aos seus equivalentes nas demais plataformas.

Ou seja, deve ser algum problema na Mi Box S que ainda preciso resolver. Ou uma característica do Android TV que só será modificada com uma atualização futura que o Google deve enviar.

O aplicativo da plataforma no webOS (plataforma das Smart TVs da LG) também precisa melhorar, e muito. O app é muito lento, pobre de recursos e, em alguns casos, chega a travar. A impressão é que aceleraram o lançamento do aplicativo apenas para “dizer que tem”, ou para passar na frente da Samsung, que ainda não lançou o aplicativo para alguns modelos.

Por fim, a interface geral do DirecTV GO também precisa avançar. Algumas pessoas reclamam da disposição dos canais em ordem alfabética, ou do recurso de voltar a programação em apenas uma hora (isso, quando esse recurso está disponível). Deixar a interface mais completa e permitir a gravação de programação na nuvem pode agregar ainda mais valor ao serviço.

 

 

 

DirecTV GO, depois de um mês de uso: ainda vale a pena?

 

 

Para o meu perfil de uso, sim. Vale a pena.

A DirecTV GO ainda é uma ótima alternativa para quem quer se livrar da TV por assinatura tradicional, e procura uma alternativa mais barata e mais flexível. Poder assistir TV ao vivo em qualquer lugar, de forma legal e pagando um preço justo é o que muita gente sempre quis, e agora pode ter.

Ainda não é a plataforma mais completa nas suas funcionalidades, mas não podemos duvidar do seu potencial de crescimento. Há quem diga que o serviço deve receber a sua caixinha decodificadora, para os usuários que querem uma experiência mais completa e próxima da TV por assinatura tradicional, mas não tem nada confirmado nesse sentido.

O mais importante aqui é que a DirecTV GO cobre uma necessidade de um grande grupo de usuários, e pode prevalecer pela excelente relação custo-benefício. E isso porque eu nem citei nesse post o valor agregado pelos cinco anos de HBO de graça porque, na prática, isso é um “mimo”: não são todos os canais disponíveis (apenas quatro), a qualidade de imagem ainda não é a melhor, e não dá acesso a todos os conteúdos do HBO GO.

Recomendo que você assine a DirecTV GO, mesmo que você fique sem os cinco anos de HBO. A relação custo-benefício e a flexibilidade do serviço são excelentes, e compensam o valor investido. Essa proposta tem tudo para ser o futuro da TV por assinatura no Brasil, e estamos sendo pioneiros de uma mudança histórica no setor.


Compartilhe